7 frases proibidas na entrevista de emprego

lideresNa hora da entrevista de emprego, as perguntas feitas pelo recrutador até  podem ser clássicas, mas as respostas dadas pelo candidato não. Fugir do senso  comum e ser autêntico, de fato, é a chave para conseguir se destacar nesta etapa  do processo de seleção.

Na meta de mostrar quem se é de verdade, há quem perca o bom senso e descambe  para assuntos, frases e posturas inadmissíveis quando o que está em jogo é seu  futuro profissional.

Confira quais sãos as frases (e consequentemente, respostas  e atitudes) proibidas durante a entrevista de emprego:

A nível de …. Vou estar enviando ….”

É comum que, em momentos de extremo nervosismo, alguns escorregões no português  aconteçam. Mas isso, jamais, deve ser a regra. Segundo especialistas, todo  candidato precisa ter atenção redobrada na hora de conjugar verbos ou,  simplesmente, pronunciar algumas palavras.

Com isso, fique atento para não rechear seu discurso com gerundismos,  concordâncias verbais ilógicas e vícios de linguagem. “Tudo isso torna a  comunicação do candidato muito feia”, afirma Othamar Gama Filho, sócio da  Recruiters.

“Meu ex-chefe era muito controlador …”

… (ou mal amado ou chato ou incompetente) ou qualquer outro adjetivo negativo  para quem dominava a batuta na sua antiga empresa. Falar mal do chefe ou da  antiga empresa é, de longe, um dos piores erros em uma entrevista de emprego.

No mínimo, pode demonstrar que você não soube fazer boas escolhas de carreira e,  no pior dos cenários, mostrar que você não sabe assumir suas próprias  responsabilidades, segundo Gama Filho. “Sempre foque em como desempenhou sua função e nas coisas que agregaram à sua  carreira”, afirma Fabiane Cardoso, coordenadora Nacional de Qualidade da Adecco  Brasil.

A dica é: se o descontentamento com o chefe e emprego anterior estiver latente,  mantenha se calado. “Se você não tem nada de bom para falar, melhor não falar  nada”, diz Gama Filho.

“Em cinco anos, quero estar no seu cargo”

Uma pitada de ambição sempre conta pontos a favor do candidato. Mas um tom de  agressividade, de interesse para além da conta e até de vocação para “puxar  tapetes alheios” assustam. E muito. “Cinco anos é um prazo muito pequeno. No  mínimo, pode mostrar que você não tem paciência”, afirma Gama Filho.

“Aqui é uma boa empresa para começar minha carreira”

Atenção extra para não demonstrar que você enxerga aquela oportunidade como um  mero trampolim profissional. “Você não sabe o futuro. Talvez você comece a  crescer na empresa”, diz Gama Filho.

“Você não pode pensar que a empresa vai apenas de dar um bom nome no currículo  para abrir portas em outra companhia”. Não pode pensar, muito menos argumentar  isso na entrevista.

“O faturamento da minha atual empresa é de 50 trilhões de dólares por mês”

Quando questionado sobre valores de mercado e estatísticas, cuidado para não  inventar. Mentir sempre pega mal em uma entrevista de emprego. Chutar alto ou  baixo demais pode mostrar falta de noção do contexto de mercado que sua carreira  está inserido. Dica? Na dúvida, admita que não tem ideia dos números exato.

“Eu preferia outra vaga, mas como me chamaram para esta, decidi tentar, né?”

Demonstrar interesse é essencial. Desdenhar da oportunidade, no entanto, é erro  para recrutador nenhum botar defeito. Por isso, é fundamental mostrar foco na  hora da entrevista.

Se você quer muito outra área, não tem porque ir a uma entrevista de um setor  que não quer. “O que você não pode é participar de uma entrevista em determinada  área e falar que quer mudar depois”, diz Fabiane.

“Vocês emendam feriados?”

A nova geração de entrevistas de emprego abre espaço para que o candidato também  faça perguntas e entenda mais da oportunidade em questão. Agora, cuidado para  não bancar o inquisidor e colocar o recrutador contra a parede.

“Não é o momento para discutir políticas internas. Questões ligadas à legislação  e negociação salarial deve ficar para um segundo momento”, afirma Fabiane.

Fonte Exame