Seja uma pessoa educada – Parte 03: Na internet

*Por Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas

Caríssimos,

Continuando as dicas sobre como se comportar, hoje tecerei comentários à respeito do comportamento na internet, especificamente o Facebook.

Eu particularmente sigo a máxima de que a melhor forma de se resolver um problema é evitá-lo, então, quando alguém me causa aborrecimentos a primeira vez, eu já bloqueio.  Às vezes a pessoa ainda nem causou aborrecimento, mas suspeito de que algum dia poderá causar, eu também bloqueio. Isso é bom porque quando ela procura o teu perfil no Facebook, dá “perfil inexistente”. Por isso que tem muita gente que procuram pessoas no Facebook e não acham… Estão bloqueados!

Saiba que a página do Facebook de uma pessoa é o seu castelo. Então, se não te agrada o que ela posta, não vá tecer comentários inconvenientes. Do mesmo jeito que tens o direito de postar o que quiser, a outra pessoa também tem. Sendo assim todo mundo fica feliz, ela posta o que quer na página DELA e tu postas o que queres na TUA página.

Eu acho que o Facebook deveria ter uma ferramenta para que pudéssemos permitir ou não comentários em uma determinada postagem. Isso evitaria muitas brigas de pessoas que saem do Facebook delas pra ir fazer barraco no face de outras pessoas. Ou mesmo aquele “amigo” que não tem o que fazer e fica comentando asneiras nas postagens alheias.

Outra coisa que é muito chata é quando alguém te adiciona em grupos de segmentos específicos, onde geralmente existe polêmica tipo: RELIGIÃO, POLÍTICA E FUTEBOL. (Na verdade, qualquer adição de grupo é um incômodo, mas existem alguns que são completamente sem noção do quanto são inconvenientes).

Esses dias me adicionaram em um grupo cujo nome era: “Fulano de tal para vereador”.  Eu saí na hora e ainda jurei que o meu voto ele já tinha perdido. Se o candidato não respeita o meu direito de escolher ou não o grupo político que entro, então não vai respeitar as escolhas dos eleitores (contribuintes). e também já fica aquele negócio de o pessoal achar que estás apoiando o cidadão. Pode ser que você já tenha o teu candidato e prefira continuar com ele.

Esses tipos de grupos (religiosos, políticos, futebol…) não devem ser impostos pois traçam um perfil que a pessoa pode não querer passar na sua  imagem pública. Assim, por exemplo, se me adicionam em um grupo religioso sem minha permissão, as pessoas que entrarem no meu perfil, mesmo sem saber que não autorizei que o grupo me adicionasse, pensarão: “Beatriz segue tal religião… ela até está no grupo tal…”. Já existe uma rotulação de uma coisa que é inverídica.

Outra coisa que sugiro que evitem é a “cutucada”. Sinceramente não sei para que serve aquilo, além do fato de ser extremamente incômodo. Se queres convidar a pessoa para a tua rede, que o faça logo. Evite as cutucadas.

Vou ficando por aqui e em breve teremos mais dicas sobre como se comportar. Desejo a todos dias muito produtivos!

Economista Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas