idea-300x300Muita gente quer abrir a própria empresa no Brasil – 75% dos habitantes do país, segundo a Endeavor. De acordo com o mesmo levantamento, só 4% conseguem. Para ter sucesso, é preciso ter inspiração e persistência, além de suar bastante.

Nos Estados Unidos, os empreendedores, especialmente aqueles que querem criar produtos, têm uma ajuda adicional: um site chamado The Grommet, uma plataforma de venda de artigos inovadores. O The Grommet já atuou em parceria com 1,5 mil empresas e vendeu 6 mil produtos.

O fundador da plataforma, Jules Pieri, listou ao site da revista Entrepreneur o que é necessário para que um produto seja bem sucedido no mercado.

1) Certifique-se que há demanda – Pieri afirma que já se deparou com um monte de “empreendedores-mãe”, aqueles que querem criar algo para resolver problemas dos filhos. Nenhum problema nisso, até porque muita coisa boa pode sair daí, mas a demanda tem que ser infinitamente maior que o número de crianças da sua casa.

De acordo com o empreendedor, assim que a ideia vier à mente, vá ao Google e veja quantas pessoas seriam beneficiadas com seu produto. Depois, veja se alguém teve uma ideia parecida antes. Caso negativo, vá em frente.

2) Faça um protótipo bacana – O próximo passo é transmitir, da melhor forma possível, suas ideais para as outras pessoas. Por isso, um protótipo é essencial. A princípio, cartazes e slides são suficientes, mas se der para construir um modelo tridimensional, melhor ainda.

3) Arranje dinheiro – Além do produto, prepare-se para apresentar sua ideia. Um bom pitch é um dos caminhos para se conquistar um investidor – ou uma multidão deles. Pieri reforça a importância do crowdfunding, o financiamento coletivo de um projeto. Há uma variedade interessante de sites em que você pode apresentar sua ideia e conseguir capital de usuários que gostaram do projeto.

4) Decida a melhor forma de produzir – Se há demanda, protótipos e dinheiro, surge a próxima dúvida: é melhor custear a fabricação ou terceirizar a produção? Para escolher, Pieri recomenda que o custo de produção corresponda a 20% do preço do produto no varejo. Terceirizar é mais barato, mas se a fabricação própria não ultrapassar esse limite, talvez seja melhor fazer sozinho.

5) Leve tudo a sério – Pieri diz que é impressionante o número de empreendedores que, com uma excelente ideia, não respeitam prazos de entrega, dentre outros erros. Mais uma vez, vale dizer que o caminho até o sucesso é longo e só a ideia não te levará a lugar nenhum.

Fonte: Revista PEGN
Link: http://revistapegn.globo.com/Como-comecar/noticia/2013/11/5-passos-para-transformar-seu-produto-em-realidade.html