Metade dos recrutadores exclui candidatos por atitude em redes sociais

bmnManter o currículo atualizado, escolher bem a roupa do dia da entrevista, estudar a empresa antes de conversar com o recrutador e dar uma geral no perfil do Facebook. Se esse último passo ainda não faz parte da sua estratégia para procurar um emprego novo, você pode estar perdendo oportunidades de trabalho mais cedo do que imagina.

Segundo uma nova pesquisa da AVG Technologies com 230 gerentes de RH dos Estados Unidos e Reino Unido e mais de quatro mil jovens entre 18 e 25 anos de 11 países, quase 60% dos jovens não reveem os próprios perfis pessoais enquanto procuram emprego, para apagar ou tornar confidenciais informações que possam ser consideradas inapropriadas.

Ao mesmo tempo, a grande maioria dos recrutadores (90%) pesquisa perfis abertos de potenciais candidatos, e cerca de metade já excluiu pessoas em processos seletivos por causa do que foi encontrado na rede. Por outro lado, dois terços dizem que também já foram influenciados positivamente pelos resultados da análise das redes sociais.

“Atualmente, o conteúdo on-line postado por um candidato ou sobre ele é equivalente a uma primeira entrevista, em que a empresa tem suas primeiras impressões sobre a pessoa. A pesquisa da AVG reforça que nossa identidade digital pode ser tão importante quanto o currículo em algumas situações”, diz Tony Anscombe, embaixador dos produtos gratuitos da empresa.

Entre os “deslizes” que provavelmente farão um candidato perder a vaga estão fotos de nudez, evidências de comportamento ofensivo, comentários depreciativos sobre o empregador anterior e postagem de opiniões extremistas sobre assuntos como raça. Encontrar qualquer um desses seria suficiente para mais de 90% dos gerentes desistirem de chamar o profissional para uma entrevista.

Fonte: Valor Econômico