Todos os post de Beatriz Iolanda

BEATRIZ IOLANDA PEIXOTO DE FREITAS: Economista, Palestrante, Consultora Empresarial, Escritora, Roteirista, Colunista e Professora Universitária.

7 dicas para usar o bom humor em apresentações de trabalho

red-blue-fire-16762751Quer se dar bem em uma apresentação no trabalho? Fique atento às comédias de  stand up. Essas apresentações trazem uma valiosa lição para quem,  rotineiramente, precisa encarar uma plateia no ambiente corporativo: o humor é  uma excelente estratégia para cativar o público – mesmo em períodos de  duradouros “monólogos”.“Nosso pensamento trabalha em uma velocidade quatro vezes mais rápida do que as  palavras”, afirma Reinaldo Polito, especialista em oratória e professor da  Universidade de São Paulo. “Em média, uma pessoa perde o foco da atenção a cada  seis minutos”.Nesse intervalo de tempo, você precisa trazê-lo de volta à realidade da  palestra. É aí que o humor pode entrar em cena. Evidentemente que, se a  apresentação tiver uma hora, você não irá contar 10 piadas apenas para seguir o  ritmo da desatenção da plateia.

Na medida certa, o bom humor pode liberar a resistência dos ouvintes e torná-los  mais receptivos aos seus argumentos. Além disso, em alguns contextos, como em  uma reunião com a diretoria da empresa, ao se materializar em observações sutis  e levemente irônicas a presença de espírito pode ser uma demonstração da sua  própria inteligência e um elogio à inteligência da plateia, segundo o  especialista. Mas essa estratégia requer limites também.

Confira as dicas de Reinaldo Polito  para usar o bom humor na medida certa durante as apresentações no trabalho.

1. Não aposte tudo no início

Sob a justificativa de “quebrar o gelo”, há quem logo nos primeiros segundos da  apresentação esboce alguma piada clássica. Se você é adepto dessa prática, sinal  vermelho. Essa estratégia pode levar a um cenário de auto sabotagem perversa.

No início da apresentação, os níveis de adrenalina tendem a estar mais altos e a  insegurança ficar latente. Por conta disso, se a reação da plateia à brincadeira  for frustrante logo de cara, caso a reação da plateia à brincadeira não for  positiva, todas as suas estratégias para cativá-la podem ficar comprometidas.

“Se a piada não tem graça, você ficará desestabilizado”, diz Polito. Prefira  deixar as piadas mais clássicas para o meio da apresentação, quando sua  segurança já estiver consolidada.

2. Use o contexto

Por conta desse fator, o especialista aconselha que o ideal é deixar as piadas  prontas de lado e recorrer a fatos engraçados do contexto da apresentação.

Recentemente, Polito aproveitou um fato anterior à palestra para pincelar com  bom humor sua apresentação. “Contei para a plateia que minha esposa não tinha  acreditado que eu daria duas palestras naquele dia e pedi para que eles  deixassem eu tirar uma foto do auditório para provar para ela”, diz.

“Eram cerca de 800 pessoas e eu pedi para que eles se ajuntassem porque todos  não estavam cabendo na foto”. No segundo seguinte, todos estavam às gargalhadas.

Se as 800 pessoas presentes não tivessem rido, Polito seguiria a palestra sem  culpas já que, ao contrário de piadas que miram e até exigem risadas,  comentários ou brincadeiras relacionadas ao contexto da apresentação devem ser  feitas sem esse tipo de obrigação.

3. Atenção para a fronteira com o vulgar

Cuidado para não se empolgar além da conta e fazer da sua apresentação uma  verdadeira apresentação de stand up. Mas os exageros com os comentários  engraçados não são apenas quantitativos.

“Imagine que existe uma linha separando humor e vulgaridade. Quanto mais perto  dessa linha, mais humorado”, explica Polito. “Mas você também começa a se  aproximar da vulgaridade”.

Dependendo das circunstâncias, afirma o especialista, isso pode colocar sua  reputação em xeque. Então, desacelere. Por mais divertidas e cativantes que  sejam as investidas em comentários próximos a esse limite, o ideal é manter uma  distância que mantenha sua imagem profissional em segurança.

4. Leve em conta a cultura do público

Não dá também para fazer uma apresentação sem analisar, em minúcias, as  características da plateia. A piada pode até fazer sucesso na mesa de bar, mas  nem sempre (ou quase nunca) terá a mesma acolhida com o conselho de  administração da sua empresa, por exemplo.

Mais: diferenças geográficas e culturais também pesam como termômetro para o  humor. Em março deste ano, o presidente mundial do Burger King, o brasileiro  Bernardo Hees, foi ‘vaiado’ pelas mulheres britânicas exatamente por escorregar  neste ponto.

Em uma palestra na Universidade de Chicago (EUA), ele comentou que as britânicas  não eram tão atraentes. A mídia do Reino Unido repercutiu o comentário.

Horas depois, o departamento de causas femininas do centro acadêmico da  Universidade de Warwick publicou a seguinte nota: “Se ele enxerga as mulheres  como uma distração em potencial na academia, como ele as vê no ambiente de  trabalho?”

5. Seja claro nas expressões

Após terminar um comentário engraçado, não é necessário se justificar com a  clássica frase: “Foi brincadeira” ou a variante “brincadeirinha”. De acordo com  o especialista, o caminho é aguçar o teor das suas expressões corporais para  deixar claro de que se trata de uma brincadeira. “Tem que fazer uma careta, afinar a voz ou mostrar um gesto mais espetacular”,  explica Polito.

A audiência precisa ter certeza de que você não está falando sério. Segundo o  especialista, o ideal é intensificar isso quanto menor o nível de instrução da  plateia. Aqui, o mestre do humor Charlie Chaplin e sua maneira caricaturata de  provocar risos pode ser uma boa inspiração – mas com limites, claro.

Agora, se um oponente (daqueles que curtem puxar o tapete e colocar você em uma  fria) estiver na plateia, hiperbolize essa postura. Você não pode dar brechas  para que ele solte o verbo contra você apenas porque fingiu não entender que era  apenas uma estratégia de presença de espírito.

6 Treine, treine e treine

“Piada tem que ser contextualizada. Ela tem que ter timing”, diz Polito. E, por  isso, não cabe abrir a apresentação no trabalho sem treinar antes cada detalhe  do seu discurso – inclusive os espirituosos.

O especialista explica que vale testar as piadas ou comentários engraçados com  outras pessoas antes da apresentação. Se não der certo com elas (se elas não  acharem graça), lime esse ponto do seu discurso.

7. Não banque o comediante

Agora, se na vida real (longe dos holofotes das apresentações corporativas) você  é pouco espirituoso, não vale mudar água para o vinho apenas porque está no  centro das atenções. Você precisa ser autêntico e natural durante cada segundo  do seu discurso.

De acordo com o especialista, apesar de ser uma ferramenta, o humor durante as  apresentações não é um mandamento. E se usado de maneira hiperbólica, pode até  virar um deslize épico.

“Não é uma obrigação. Cada um tem que usar o que tem de melhor”, diz Polito.

Fonte: Revista Exame

10 passos para você tomar coragem e empreender

 imagesCAQ8C60FSe entre suas resoluções estiver a meta de abrir um negócio, fique atento às dicas do professor Marcelo Nakagawa, coordenador do Centro de Empreendedorismo do Insper. “O processo de abrir um negócio varia muito entre as empresas, mas pode levar de seis meses a um ano, dependendo do tipo de negócio”, afirma. Se seu negócio exigir um protótipo, por exemplo, prepare-se para um prazo mais próximo dos 12 meses. Se for virtual, pode tardar menos. Já imaginou que você pode começar a segunda metade do ano com seu próprio negócio? Veja, a seguir, as dicas de Marcelo Nakagawa. Continue lendo 10 passos para você tomar coragem e empreender

Investimos em boas idéias

boas-ideias_02A maioria das boas idéias nem sempre é posta em prática devido aos fatores de origem financeira.

Investimos em boas idéias e por isso estamos dispostos a ouvir sobre as propostas de negócio que tens.

Tens uma boa idéia de negócio e quer torna-la real? Procura-nos pois podemos ajuda-lo no teu objetivo financiando o teu projeto com dinheiro do governo ou investidores privados.

Agende tua reunião de negócios!

Contato:

+ 0055 62 9977 1677 (OI)

+ 0055 62 8241 9455 (TIM)

Ensinando as crianças a gastar o dinheiro sabiamente

tiopatinhas_ducktales3Os desejos dos filhos são coisa difícil de manter-se com hoje em dia. Com tantos brinquedos e anúncios publicitários de jogos de vídeo e para não mencionar que as outras crianças têm ou querem. A constante no slot de eu quero isso, eu só tenho que ter isso em uma base diária é apenas o suficiente para fazer um pai louco. Continue lendo Ensinando as crianças a gastar o dinheiro sabiamente

O que é o Programa Bolsa Família?

BOLSA-~1O Programa Bolsa Família foi criado para apoiar as famílias mais pobres e garantir a elas o direito à alimentação e o acesso à educação e à saúde. O programa visa a inclusão social dessa faixa da população brasileira, por meio da transferência de renda e da garantia de acesso a serviços essenciais. Em todo o Brasil, mais de 11 milhões de famílias são atendidas pelo Bolsa Família. Continue lendo O que é o Programa Bolsa Família?

15 dicas para se dar bem nas entrevistas de emprego

bmnDiscussão sobre trabalho em equipe, estar preparado para apontar seus pontos fracos e fazer perguntas para o entrevistador. Essas são algumas das recomendações que você deve se lembrar durante o processo de  entrevistas de emprego.

Veja a seguir 15 dicas que são importantes para aumentar suas chances de conquistar uma nova oportunidade no mercado de trabalho. Continue lendo 15 dicas para se dar bem nas entrevistas de emprego

Quanto pode-se ser sincero no trabalho?

MentiraA sinceridade vai virando assunto de conversa na pausa para o almoço conforme uma geração mais jovem, e desbocada, passa a participar mais ativamente do cotidiano da empresa. À medida que a organização rejuvenesce, alguns rituais corporativos estão sendo questionados e a cerimônia com a hierarquia vem perdendo sentido. Profissionais mais jovens têm a tendência de agir e falar sem papas na língua, sem dar tanta importância para o efeito das próprias palavras. Continue lendo Quanto pode-se ser sincero no trabalho?

Como transmitir: segurança, confiança e eficiência

Electives-PicTímido desde criança, o paranaense Edson Nishi, de 32 anos, gerente de projetos da BRQ, empresa de serviços de TI, de São Paulo, sentiu na pele os reflexos da falta de habilidade para se comunicar. De postura retraída, ele tinha dificuldade de expor sua opinião em público. Em reuniões, sempre escolhia o local mais distante para sentar, longe dos principais executivos. “Tinha medo de dizer o que eu pensava e isso me fazia muito mal”, diz Edson. Continue lendo Como transmitir: segurança, confiança e eficiência

Novo workaholic: incapaz de esquecer dos problemas do trabalho

riscoVocê planejou um almoço com a família durante uma semana e, quando chega o dia, seu chefe o convida para almoçar informalmente, assim como convida a outros dois funcionários que estavam por ali na ocasião. Você, então, cancela o compromisso familiar, num piscar de olhos, por uma necessidade de não recusar o convite da chefia. Continue lendo Novo workaholic: incapaz de esquecer dos problemas do trabalho

Como sair de uma dívida de milhares de reais

riscoTomar crédito para comprar bens de alto valor, como um carro ou um imóvel, ou mesmo um eventual descuido das finanças pode ocorrer com qualquer pessoa e nem sempre enforca o devedor. Mas e quando uma dívida foge do controle e atinge uma cifra astronômica? O que fazer, por exemplo, quando uma doença na família, um forte descontrole financeiro ou uma perda de emprego geram uma dívida da ordem de 100 mil reais? Continue lendo Como sair de uma dívida de milhares de reais

Empreendedores decididos e felizes

livros-abreO que é felicidade? Esse questionamento está na introdução do recém-lançado The Happiness Choice: The Five Decisions That Will Take You From Where You Are to Where You Want to Be (A escolha da felicidade: as cinco decisões que o levarão de onde você está para onde você quer estar, em tradução livre), de Marilyn Tam, e convida o leitor a refletir sobre o assunto. Continue lendo Empreendedores decididos e felizes

Como declarar a compra e a venda de imóveis

imõveisA Receita Federal espera receber 26 milhões de declarações em 2013. Todos os contribuintes que receberam no ano passado rendimentos tributáveis superiores a 24.556,65 reais precisam prestar contas ao Fisco. Quem deixar de entregar o IR 2013 pode ser multado em 165,74 reais ou ser obrigado a pagar 20% do valor do imposto devido. A pergunta abaixo pode ajudá-lo a preencher sua declaração de renda. Continue lendo Como declarar a compra e a venda de imóveis