Todos os post de Beatriz Iolanda

BEATRIZ IOLANDA PEIXOTO DE FREITAS: Economista, Palestrante, Consultora Empresarial, Escritora, Roteirista, Colunista e Professora Universitária.

8 erros imperdoáveis no escritório

redacao-empresarial-br-escolaCometer falhas é comum, mas certos erros são imperdoáveis no ambiente  corporativo. Por mais excelente que seja o desempenho profissional dos seus  colaboradores nas tarefas, alguns deslizes de comportamento podem comprometer  seriamente a imagem no escritório e até mesmo ser suficientes para a demissão.  Evitar tais problemas não é tarefa apenas de profissionais novos, mas algo que  até os trabalhadores mais eficientes devem permanecer atentos.

Confira oito erros imperdoáveis no escritório e como eles podem prejudicar a  trajetória profissional dos seus colaboradores:

1. Conduta sexual imprópria

Mesmo que as duas pessoas envolvidas estejam de acordo, os relacionamentos  pessoais devem ser mantidos a distância máxima do escritório para que nem o  trabalho, nem os relacionamentos sejam prejudicados.

2. Passar por cima dos outros

Ser bem-sucedido é objetivo de todo profissional, porém a carreira não deve  ser colocada acima do bem-estar de outros seres humanos, em hipótese alguma. A  pessoa pode até chegar à posição que deseja, mas estará lá sozinha e, se cair,  não receberá a ajuda dos “colegas” para se reerguer. 3. Se colocar como o centro

Sabe aquela pessoa que sempre transfere todas as situações, boas e/ou ruins,  para si, como se fosse o centro de tudo? Os colegas e superiores podem até  aquentá-la por certo tempo, mas mais cedo ou mais tarde algum comportamento será  suficientemente egocêntrico para que ela seja dispensada ou advertida.  Comportar-se de tal maneira, sem dividir projetos, conquistas e tarefas, pode  prejudicar o desempenho individual e da equipe de maneira profunda, abrindo mais  espaço para erros e falhas na comunicação.

4. Falta de atenção

Detalhes podem ser pequenos, mas definitivamente não são insignificantes.  Pelo contrário, falta de atenção aos detalhes pode custar o emprego. Não apenas  no trabalho, mas também em conversas, maneira de vestir e reações, os detalhes  são aquilo que fazem um profissional se destacar ou se rebaixar entre os outros  colegas do escritório.

5. Falta de controle emocional

Se um funcionário pode cometer erros imperdoáveis, não pense que os outros,  inclusive seus subordinados, também não podem. Lembre-se de que quem comete  erros não precisa de alguém explodindo de raiva, sem controle emocional em seus  ouvidos. Além da raiva, a frustração e outros sentimentos negativos devem ser  cuidadosamente expressados no ambiente de trabalho.

6. Braço curto

O famoso braço curto, ou preguiçoso, está presente em quase todos os  escritórios e é um verdadeiro atraso para qualquer processo. Em geral esse tipo  de pessoa pensa que ninguém nota a falta de cuidado e capricho em seus  trabalhos.

7. Olho gordo

A inveja ou famoso olho gordo transparece em detalhes, como na reação a  determinado comentário, especialmente se ele for um elogio para a vítima da  inveja. Verifique se seus funcionários adotam a postura adequada quando  sentem-se ameaçados por um colega.

8. Ego exagerado

Todos precisam de auto-estima e confiança, mas o ego exagerado ofusca  qualquer um. Além de atrapalhar seus colegas e prejudicar o relacionamento entre  a equipe, o funcionário acaba perdendo o respeito dos colegas e até mesmo a  credibilidade profissional.

Fonte: Santander

Entenda as pirâmides e proteja-se!

É incrível como tem gente que cai no “conto do vigário” todos os dias… Avestruz, cosméticos, ligações via net, produtos para emagrecer, cursos, combustível, mudas de árvores…
Quer saber como começa conversa de malandro? É assim:
“- QUERO TE COLOCAR NUM NEGÓCIO BOM DEMAIS PRA GANHAR DINHEIRO!”.

Não foram poucas as vezes que alguém te abordou para te “recrutar” para fazer parte de um negócio lucrativo. Não foram poucas as vezes em que navegavas pela net e deparou-se com anúncios de cadastramento em que era indicado por alguém (no caso a pessoa que te recrutou e vai ganhar em cima de ti) porque agora a NOVA MODALIDADE DE PIRÂMIDE É PELA INTERNET. Proteja-se!!… Dinheiro fácil não cai do céu!!!… Continue lendo Entenda as pirâmides e proteja-se!

Como pleitear a Bolsa da OVG

bolsa-ovg-2011-inscriçõesO Programa Bolsa Universitária representa a oportunidade de conclusão de um curso superior para estudantes que não possuem condições de arcar com as mensalidades em instituições privadas de ensino no Estado de Goiás.

Bolsas Parciais e Integrais

O programa passou por mudanças e a bolsa deixou de ter um valor único para todos. Além do critério socioeconômico, passou a considerar o desempenho acadêmico do aluno como critério para definição do valor do benefício.

Estudantes com renda bruta familiar de até seis salários mínimos podem pleitear a bolsa parcial. Neste caso, o aluno que obtiver média de até 6,9 no semestre anterior terá direito ao benefício no valor de até 300 reais; até 400 reais, caso tenha média entre 7 e 8,4; e até 500 reais, se conseguir média de no mínimo 8,5.

As vagas das bolsas parciais serão distribuídas atendendo, rigorosamente, a:

I – Ordem decrescente de classificação na avaliação da média geral dos bolsistas;

II – Existência de dotação orçamentária;

III – Conveniência administrativa.

Já a bolsa integral contempla os universitários com renda bruta familiar de até três salários mínimos. Quem for selecionado num primeiro momento para a bolsa parcial, poderá participar da seleção para a bolsa integral e será remanejado, caso se enquadre nos critérios exigidos.

A Bolsa Universitária é compatível com sistemas de créditos, como o FIES, o Financiamento Estudantil do governo federal. A seleção de novos beneficiários acontece semestralmente.

O aluno não perde o benefício se for reprovado em apenas uma disciplina por semestre. Neste caso, tem uma nova chance para continuar no programa.

Em contrapartida, o estudante deverá prestar serviços em instituições governamentais ou não governamentais, com carga horária compatível com seus afazeres escolares e trabalho.

A partir da reformulação do programa em 2011, passou-se a exigir também demonstração de qualidade de ensino por parte das instituições privadas de ensino superior conveniadas. Para manter o credenciamento, essas instituições deverão atender parâmetros de eficiência determinados pelo Ministério da Educação (MEC).

Como participar

O universitário deve fazer a inscrição no período estabelecido, observando Edital disponível no site www.ovg.org.br, preenchendo o formulário próprio e apresentando todos os documentos exigidos.

Após o período de inscrições, uma equipe técnica realiza, por meio de entrevista e/ou visita, a avaliação socioeconômica dos candidatos.

Critérios de seleção

– Avaliação socioeconômica do grupo familiar;

– Estar vinculado a Instituição de Ensino Superior (IES) conveniada;

– Validação da inscrição;

– Comprovação via apresentação de documentos das declarações constantes no formulário de inscrição.

Critérios de desempate

– Ter participado de processo seletivo anterior do Programa;

– Ter membros do grupo familiar em tratamento crônico de saúde;

– Trabalhador rural;

– Metade ou mais da escolaridade do estudante cursada na rede pública;

– Mãe solteira.

Contato

Rua T-38, nº 249, Setor Bueno – Goiânia/GO

Tel.: (62) 3201-9453 / 3201-9459

Assessoria Executiva: (62) 3201-9456 e 3201-9474

Assessoria Jurídica: (62) 3201-9420

Contrapartida da Capital: (62) 3201-9470 / (62) 3201-9471

Contrapartida do Interior: (62) 3201-9478

Departamento Financeiro: (62) 3201-9479

Serviço Social: (62) 3201-9472 / (62) 3201-9477

E-mail: bolsa.universitaria@ovg.org.br

5 atitudes ruins para chefes

job-300x225Atitudes e comportamentos inadequados, infelizmente, são muito comuns no mundo corporativo e ficam ainda piores quando cometidos por pequenos empresários. Alguns desses deslizes, dependendo da gravidade, podem destruir a reputação da pessoa e também da própria empresa. Veja cinco atitudes comuns que pegam muito mal e que devem ser evitadas:

1- Ser incoerente Poucos comportamentos são tão desmoralizantes para qualquer líder como exigir uma determinada conduta e fazer o contrário. No mínimo, vira motivo de chacota por parte dos subordinados e, na pior das hipóteses, destrói sua autoridade. Procure manter a coerência entre seu discurso e sua prática diária.

2- Bancar o perfeito Todo mundo possui falhas e apresenta dificuldades em realizar algumas tarefas. Não admitir ou aceitar seus erros demonstra arrogância e pode significar medo de se enxergar como realmente é. As pessoas aceitam, compreendem e admiram o líder que aceita o fato de que há pessoas mais competentes que ele em determinadas áreas.

3- Omitir informações Liderar significa resolver problemas, mediar conflitos e tomar decisões que, muitas vezes, desagradam. Se tiver que tomar uma decisão difícil, ouça as partes, analise com frieza e decida da maneira mais justa possível.

4-  Agir com grosseria Muitos gestores confundem firmeza com estupidez. Levantar a voz, ameaçar aleatoriamente, usar palavrões ou abusar do poder para conseguir a obediência das pessoas é uma maneira de perder respeito e o comprometimento de seus subordinados.

5- Ser egocêntrico Assumir todas as glórias, ressaltar com muita frequência os próprios feitos e exagerar na autoconfiança causam péssima impressão, mesmo que seja verdade. As pessoas tendem a desconfiar de quem precisa, exageradamente, de aplausos. Elogios ficam muito melhores vindos da boca de outras pessoas.

Se você tem algumas dessas atitudes, procure prestar atenção no quanto elas são prejudiciais para seu negócio e, se não puder eliminá-las, diminua a intensidade com que elas aparecem. Seus consumidores, fornecedores e principalmente seus subordinados perceberão seu esforço e retribuirão com melhor desempenho.

Fonte: Exame

As piores profissões da História

A zoo keeper feeds a crocodile during World Environment Day celebrations at the Malabon ZooPense duas vezes antes de reclamar de seu emprego. Existem maneiras muito piores  de ganhar seu sustento. Quer ver? A revista americana Lapham’s Quarterly  preparou uma lista com as piores profissões criadas e aturadas pela humanidade  ao longo da história.

50, Roma – Servente em banquetes

Função – Limpar o vômito dos convidados e segurar penicos para eles urinarem

800, Escandinávia – Caçador de ferro

Função – Perambular por pântanos e lagos o ano inteiro, espetando lanças no  solo para encontrar o minério

900, Escócia – Colecionador de ovos

Função – Escalar penhascos para roubar ovos de aves marinhas para  alimentação. Para piorar, usando cordas de proteção feitas de urtiga

1100, Flanders – Produtor de Lã

Função – Tirar a gordura e as impurezas da lã da ovelha num tonel de urina por  horas a fio

1300, Inglaterra – A mulher da cerveja

Função – Produzir cerveja nas tavernas e receber uma multa ou ser torturada  como punição, caso a bebida não esteja boa o suficiente

1520, Agra (Índia) – Provador de comida

Função – Experimentar a comida do imperador para comprovar que não há veneno.  Se o monarca consumir algo contaminado, o profissional devia estar pronto para  ser espancado até a morte

1530, Palácio Hampton Court (Inglaterra) – Garoto do espeto

Função – Ficar próximo do fogo e girar as carnes enquanto elas são assadas,  cozinhando para cerca de 1,2 mil pessoas

1827, Edimburgo (Escócia) – Ressuscitador

Função- Desenterrar ilegalmente e roubar cadáveres de túmulos para vender a  estudantes de medicina para dissecação

1835, França – Caçador de sanguessuga

Função – Entrar em lagos e permitir que sanguessugas grudem nas pernas, para  retirá-los depois

1880, ÍndiaVentilador humano

Função – Passar o dia inteiro puxando uma corda para abanar os membros do  comando britânico na Índia

2010, China – Trabalhador fabril

Função – Carga horária mensal de 300 horas, salário de US$ 0,76 centavos por  hora e gasto de 30% da renda do trabalhador para pagar a fábrica por seu quarto  e suas refeições

2010, Tóquio – Empurrador do metrô

Função– Empurrar passageiros,na hora do rush, para dentro de trens lotados

Fonte: Época Negócios

3 dicas pra quem foi demitido

transporter3-french-poster-tsrApós uma demissão, profissionais podem ficar desempregados por, em média, 10  meses. Esse é um tempo longo para ficar longe da sua carreira. Por isso, ao ser  demitido, você precisa fazer algumas coisas que vão acelerar o seu processo de  conseguir um novo emprego e garantir que essa seja apenas uma fase de transição.

Confira abaixo 3 coisas para fazer depois de ser demitido:

1. Fazer um perfil no LinkedIn

O LinkedIn é a maior rede social no mundo dos negócios. O site ajuda você a  construir um network que pode ser a solução para a sua busca por um emprego.  Você também pode procurar vagas que estão disponíveis e se candidatar através da  própria rede social.

2. Use o seu network

Use o seu network para ajudar você a conseguir um emprego. Entregue um  currículo para pessoas que podem oferecer uma oportunidade, principalmente  pessoas com as quais você já trabalhou antes.

3. Mantenha os olhos abertos

Oportunidades de emprego podem ser encontradas em qualquer lugar, e não  apenas por meio do seu network. Mantenha os olhos abertos para vagas  disponíveis.

10 sinais de que amas teu emprego

10Encontrar a satisfação profissional tem tudo a ver com fazer o que você  gosta. Se o seu emprego se encaixa nas suas expectativas (nem sempre  relacionadas ao salário e benefícios), você provavelmente será um profissional  contente com a sua carreira. Essa paixão pelo seu trabalho é o que vai fazer de  você um trabalhador motivado e inspirado. Confira abaixo 10 sinais de que você ama o seu emprego: Continue lendo 10 sinais de que amas teu emprego

Mulher que ganha mais perde o marido

mulher-magra-ganha-maisAs mulheres, de maneira geral, têm um desempenho melhor do que os homens no ensino médio americano. Com isso, um maior número delas acaba se graduando nas universidades. À medida que as mulheres se tornam presidentes de empresas importantes como HP, IBM e Pepsico, há sinais de que a diferença salarial entre homens e mulheres pode finalmente estar sendo desafiada. Continue lendo Mulher que ganha mais perde o marido

7 dicas para usar o bom humor em apresentações de trabalho

red-blue-fire-16762751Quer se dar bem em uma apresentação no trabalho? Fique atento às comédias de  stand up. Essas apresentações trazem uma valiosa lição para quem,  rotineiramente, precisa encarar uma plateia no ambiente corporativo: o humor é  uma excelente estratégia para cativar o público – mesmo em períodos de  duradouros “monólogos”.“Nosso pensamento trabalha em uma velocidade quatro vezes mais rápida do que as  palavras”, afirma Reinaldo Polito, especialista em oratória e professor da  Universidade de São Paulo. “Em média, uma pessoa perde o foco da atenção a cada  seis minutos”.Nesse intervalo de tempo, você precisa trazê-lo de volta à realidade da  palestra. É aí que o humor pode entrar em cena. Evidentemente que, se a  apresentação tiver uma hora, você não irá contar 10 piadas apenas para seguir o  ritmo da desatenção da plateia.

Na medida certa, o bom humor pode liberar a resistência dos ouvintes e torná-los  mais receptivos aos seus argumentos. Além disso, em alguns contextos, como em  uma reunião com a diretoria da empresa, ao se materializar em observações sutis  e levemente irônicas a presença de espírito pode ser uma demonstração da sua  própria inteligência e um elogio à inteligência da plateia, segundo o  especialista. Mas essa estratégia requer limites também.

Confira as dicas de Reinaldo Polito  para usar o bom humor na medida certa durante as apresentações no trabalho.

1. Não aposte tudo no início

Sob a justificativa de “quebrar o gelo”, há quem logo nos primeiros segundos da  apresentação esboce alguma piada clássica. Se você é adepto dessa prática, sinal  vermelho. Essa estratégia pode levar a um cenário de auto sabotagem perversa.

No início da apresentação, os níveis de adrenalina tendem a estar mais altos e a  insegurança ficar latente. Por conta disso, se a reação da plateia à brincadeira  for frustrante logo de cara, caso a reação da plateia à brincadeira não for  positiva, todas as suas estratégias para cativá-la podem ficar comprometidas.

“Se a piada não tem graça, você ficará desestabilizado”, diz Polito. Prefira  deixar as piadas mais clássicas para o meio da apresentação, quando sua  segurança já estiver consolidada.

2. Use o contexto

Por conta desse fator, o especialista aconselha que o ideal é deixar as piadas  prontas de lado e recorrer a fatos engraçados do contexto da apresentação.

Recentemente, Polito aproveitou um fato anterior à palestra para pincelar com  bom humor sua apresentação. “Contei para a plateia que minha esposa não tinha  acreditado que eu daria duas palestras naquele dia e pedi para que eles  deixassem eu tirar uma foto do auditório para provar para ela”, diz.

“Eram cerca de 800 pessoas e eu pedi para que eles se ajuntassem porque todos  não estavam cabendo na foto”. No segundo seguinte, todos estavam às gargalhadas.

Se as 800 pessoas presentes não tivessem rido, Polito seguiria a palestra sem  culpas já que, ao contrário de piadas que miram e até exigem risadas,  comentários ou brincadeiras relacionadas ao contexto da apresentação devem ser  feitas sem esse tipo de obrigação.

3. Atenção para a fronteira com o vulgar

Cuidado para não se empolgar além da conta e fazer da sua apresentação uma  verdadeira apresentação de stand up. Mas os exageros com os comentários  engraçados não são apenas quantitativos.

“Imagine que existe uma linha separando humor e vulgaridade. Quanto mais perto  dessa linha, mais humorado”, explica Polito. “Mas você também começa a se  aproximar da vulgaridade”.

Dependendo das circunstâncias, afirma o especialista, isso pode colocar sua  reputação em xeque. Então, desacelere. Por mais divertidas e cativantes que  sejam as investidas em comentários próximos a esse limite, o ideal é manter uma  distância que mantenha sua imagem profissional em segurança.

4. Leve em conta a cultura do público

Não dá também para fazer uma apresentação sem analisar, em minúcias, as  características da plateia. A piada pode até fazer sucesso na mesa de bar, mas  nem sempre (ou quase nunca) terá a mesma acolhida com o conselho de  administração da sua empresa, por exemplo.

Mais: diferenças geográficas e culturais também pesam como termômetro para o  humor. Em março deste ano, o presidente mundial do Burger King, o brasileiro  Bernardo Hees, foi ‘vaiado’ pelas mulheres britânicas exatamente por escorregar  neste ponto.

Em uma palestra na Universidade de Chicago (EUA), ele comentou que as britânicas  não eram tão atraentes. A mídia do Reino Unido repercutiu o comentário.

Horas depois, o departamento de causas femininas do centro acadêmico da  Universidade de Warwick publicou a seguinte nota: “Se ele enxerga as mulheres  como uma distração em potencial na academia, como ele as vê no ambiente de  trabalho?”

5. Seja claro nas expressões

Após terminar um comentário engraçado, não é necessário se justificar com a  clássica frase: “Foi brincadeira” ou a variante “brincadeirinha”. De acordo com  o especialista, o caminho é aguçar o teor das suas expressões corporais para  deixar claro de que se trata de uma brincadeira. “Tem que fazer uma careta, afinar a voz ou mostrar um gesto mais espetacular”,  explica Polito.

A audiência precisa ter certeza de que você não está falando sério. Segundo o  especialista, o ideal é intensificar isso quanto menor o nível de instrução da  plateia. Aqui, o mestre do humor Charlie Chaplin e sua maneira caricaturata de  provocar risos pode ser uma boa inspiração – mas com limites, claro.

Agora, se um oponente (daqueles que curtem puxar o tapete e colocar você em uma  fria) estiver na plateia, hiperbolize essa postura. Você não pode dar brechas  para que ele solte o verbo contra você apenas porque fingiu não entender que era  apenas uma estratégia de presença de espírito.

6 Treine, treine e treine

“Piada tem que ser contextualizada. Ela tem que ter timing”, diz Polito. E, por  isso, não cabe abrir a apresentação no trabalho sem treinar antes cada detalhe  do seu discurso – inclusive os espirituosos.

O especialista explica que vale testar as piadas ou comentários engraçados com  outras pessoas antes da apresentação. Se não der certo com elas (se elas não  acharem graça), lime esse ponto do seu discurso.

7. Não banque o comediante

Agora, se na vida real (longe dos holofotes das apresentações corporativas) você  é pouco espirituoso, não vale mudar água para o vinho apenas porque está no  centro das atenções. Você precisa ser autêntico e natural durante cada segundo  do seu discurso.

De acordo com o especialista, apesar de ser uma ferramenta, o humor durante as  apresentações não é um mandamento. E se usado de maneira hiperbólica, pode até  virar um deslize épico.

“Não é uma obrigação. Cada um tem que usar o que tem de melhor”, diz Polito.

Fonte: Revista Exame

10 passos para você tomar coragem e empreender

 imagesCAQ8C60FSe entre suas resoluções estiver a meta de abrir um negócio, fique atento às dicas do professor Marcelo Nakagawa, coordenador do Centro de Empreendedorismo do Insper. “O processo de abrir um negócio varia muito entre as empresas, mas pode levar de seis meses a um ano, dependendo do tipo de negócio”, afirma. Se seu negócio exigir um protótipo, por exemplo, prepare-se para um prazo mais próximo dos 12 meses. Se for virtual, pode tardar menos. Já imaginou que você pode começar a segunda metade do ano com seu próprio negócio? Veja, a seguir, as dicas de Marcelo Nakagawa. Continue lendo 10 passos para você tomar coragem e empreender

Investimos em boas idéias

boas-ideias_02A maioria das boas idéias nem sempre é posta em prática devido aos fatores de origem financeira.

Investimos em boas idéias e por isso estamos dispostos a ouvir sobre as propostas de negócio que tens.

Tens uma boa idéia de negócio e quer torna-la real? Procura-nos pois podemos ajuda-lo no teu objetivo financiando o teu projeto com dinheiro do governo ou investidores privados.

Agende tua reunião de negócios!

Contato:

+ 0055 62 9977 1677 (OI)

+ 0055 62 8241 9455 (TIM)

Ensinando as crianças a gastar o dinheiro sabiamente

tiopatinhas_ducktales3Os desejos dos filhos são coisa difícil de manter-se com hoje em dia. Com tantos brinquedos e anúncios publicitários de jogos de vídeo e para não mencionar que as outras crianças têm ou querem. A constante no slot de eu quero isso, eu só tenho que ter isso em uma base diária é apenas o suficiente para fazer um pai louco. Continue lendo Ensinando as crianças a gastar o dinheiro sabiamente

O que é o Programa Bolsa Família?

BOLSA-~1O Programa Bolsa Família foi criado para apoiar as famílias mais pobres e garantir a elas o direito à alimentação e o acesso à educação e à saúde. O programa visa a inclusão social dessa faixa da população brasileira, por meio da transferência de renda e da garantia de acesso a serviços essenciais. Em todo o Brasil, mais de 11 milhões de famílias são atendidas pelo Bolsa Família. Continue lendo O que é o Programa Bolsa Família?

15 dicas para se dar bem nas entrevistas de emprego

bmnDiscussão sobre trabalho em equipe, estar preparado para apontar seus pontos fracos e fazer perguntas para o entrevistador. Essas são algumas das recomendações que você deve se lembrar durante o processo de  entrevistas de emprego.

Veja a seguir 15 dicas que são importantes para aumentar suas chances de conquistar uma nova oportunidade no mercado de trabalho. Continue lendo 15 dicas para se dar bem nas entrevistas de emprego

Quanto pode-se ser sincero no trabalho?

MentiraA sinceridade vai virando assunto de conversa na pausa para o almoço conforme uma geração mais jovem, e desbocada, passa a participar mais ativamente do cotidiano da empresa. À medida que a organização rejuvenesce, alguns rituais corporativos estão sendo questionados e a cerimônia com a hierarquia vem perdendo sentido. Profissionais mais jovens têm a tendência de agir e falar sem papas na língua, sem dar tanta importância para o efeito das próprias palavras. Continue lendo Quanto pode-se ser sincero no trabalho?