Workshop – Combate ao Roubo e Receptação de Cargas

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Goiás, em parceria com as empresas privadas e os Órgãos de Segurança Pública Federias e Estaduais, nos dias 19 e 20 de agosto de 2019, fará o Workshop sobre Combate ao Roubo e Receptação de Cargas, com o objetivo de aprofundar a discussão sobre o tema, compartilhando ideias, tecnologias e soluções.

Além de promover a integração entre as esferas públicas e privadas, estabelecendo parcerias que ajudem no combate ao crime, além da qualificação daqueles que trabalham com a prevenção e repressão aos crimes de furto, roubo e receptação de cargas, contrabando, pirataria, falsificação e transporte de produtos ilegais.

Público Alvo

O workshop é voltado para: Integrantes dos Órgãos Federais e Estaduais de Repressão ao Furto, Roubo e Receptação de Cargas; Empresas Privadas Embarcadoras e Transportadoras de Cargas; Gerenciadoras de Risco e qualquer empresa que trabalha com tecnologia para a melhoria da segurança no transporte de carga.

Entrada:

2 quilos de alimentos não perecíveis

**Cronograma 19 de agosto (segunda-feira)

08h00 Credenciamento

08h30 Abertura oficial

09h – 9h20 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa pública – PRF – Inspetor Paulo Guedes

9h20 – 9h40 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa privada – Souza Cruz – Gustavo Diertz

9h40 – 10h  Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa pública – PC – Delegado Alexandre Bruno

10h10 – 10h30 Coffee-break

10h30 – 10h50 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa privada – Sindveg – Eliezer Carvalho Dantas

10h50 – 11h10 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa pública – Receita Federal – Dr. Antônio Moreira

11h10 – 11h30 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa privada – HP – Fábio Barbosa

12h Almoço

13h30 – 13h50 Apresentação do cenário de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa pública – Superintendência de Inteligência  da SSP – Dra. Liliane Albuquerque Amorim 

13h50 – 14h10 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa privada – Tranzili – Tyago Oliveira

14h10 – 14h30 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa pública – Polícia Tec. Científica – PC Ricardo Matos

14h30 – 14h50 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa privada – Brasil Risc – Cristiano Tanganelli

15h00 Coffee- break

15h30  – 15h50 Apresentação do cenário de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa pública – PM -GO – Comandante Vanderlan – Operações de Divisas

15h50- 16h10 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa privada – Pamcary – Paulo Sanada

16h10 – 16h40 Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa pública – Procarga – Delegado Dr. Waldomiro Pompiane

16h40 – 17h Apresentação do cenários de Combate ao Roubo perante a visão da iniciativa – Batalhão Rural– Tenente Coronel Galvão

18h Encerramento

Cronograma: 20 de agosto (terça-feira)

08h00 Café da manhã

08h30 Abertura

8h40 Isolamento e preservação de local de crime – Polícia técnica Cientifica  Humberto Almeida

09h25 Documentos para Transporte – Secretária da Economia do Estado de Goiás – Moisés Afri

10h05 Coffee-break

10h30 Rastreamento Veicular – 3S –  Clovis Augusto Manfio 

11h00 Gestão de risco no transporte – Souza Cruz – Gustavo Dietz

12h Almoço

13h30 Relatórios de monitoramento – Sansiguardi – Sandro Aquere

14h15 Roubos de Carga e a Segurança da Cadeia Logística  – PRF – Kaue Tolentino Passos

15h00 Coffe-Break

15H30 Tecnologia de localizadores de Carga – Golden Sat – Thiago Iuga

17h20 Encerramento

**Cronograma sujeito a alteração sem aviso prévio

Marco legal das startups deve ser encaminhado ao Congresso neste ano

O governo pretende encaminhar ao Congresso Nacional, até o final do ano, o Marco Legal de Startups, iniciativa que cria normas e práticas para o setor. A expectativa do Ministério da Economia é que o projeto de lei seja encaminhado até setembro.

“Acreditamos que será uma alavanca para que o Brasil se torne um dos países mais inovadores do mundo. Quando comparamos o novo marco legal com o ambiente de startups em outros países, estamos aproveitando as melhores lições, e indo além. O Brasil vai se tornar uma grande potência de startups global”, disse o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, em entrevista à Agência Brasil. Ele proferiu palestra no Innovation Summit Brasil – 2019, evento que debate, em Florianópolis, o ecossistema brasileiro de ciência, tecnologia e inovação.

O marco legal é um projeto realizado pelos ministérios da Economia e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações em parceria com a sociedade civil. “O marco legal foi produto de uma construção que teve a participação de 160 pessoas, e que foi colocado em consulta pública, tendo recebido 711 contribuições, com mais de 4 mil sugestões de alterações. Por isso, estamos no momento de sistematizar essas contribuições para encaminhá-lo ao Congresso Nacional no segundo semestre”, disse Igor Nazareth, subsecretário de Inovação do Ministério da Economia.

Segundo Nazareth, o marco legal estuda a melhora do ambiente de negócios, com propostas de simplificação para que as startups se tornem sociedade anônima (S.A.) e possam receber recursos, com diminuição da burocracia e redução de custos. Também foram objetos de trabalho, a facilitação de investimentos, as compras públicas e a atração de talentos para as startups.

“Hoje temos algumas leis dispersas que tratam do tema e trazem alguns avanços. Mas o que estamos fazendo é trazer tudo isso para aperfeiçoar o que diz respeito às startups e colocar no mesmo marco legal. Não estamos trabalhando só com leis. O projeto será encaminhado ao Congresso, mas também estamos trabalhando com decretos e instruções normativas. O objetivo do trabalho e do marco legal é identificar as barreiras que dificultam o crescimento e desenvolvimento das nossas startups e propor instrumentos e políticas para apoiar seu crescimento e desenvolvimento”, afirmou Nazareth.

Emprega+

O secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, que participou do evento, disse que, até setembro, o governo pretende lançar o Emprega+, um programa que de qualificação de capital humano que tem como objetivoa elevação da taxa de emprego no país. Segundo Costa, a data de lançamento do programa ainda não foi definida porque parte dele será feita em conjunto com o Sistema S. “Mas estamos em fase final de negociação”, disse.

O programa é baseado em três instrumentos. “Primeiro, vouchers principalmente para aqueles que estão desempregados, para que treinem e voltem a se qualificar para o mercado de trabalho. Também temos os chamados contratos de impacto social, em que contratamos empresas para que elas qualifiquem as pessoas e as coloquem no mercado. As empresas ganham de acordo com o sucesso em recolocar essas pessoas. E também programas específicos, desenhados junto com as empresas para qualificarem as pessoas no futuro.”

Fonte: Ag Brasil
Link: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-08/marco-legal-das-startups-deve-ser-encaminhado-ao-congresso-neste-ano

Seleção de Mentores – Nasa Space Apps Challenge Campina Grande

O NASA Space Apps Chalenge é uma Hackaton Global promovida pela Nasa, que acontece em mais de 200 cidades no mundo e mais de 30 cidades no Brasil. Tem como público alvo estudantes, pesquisadores, inventores, empreendedores, empresários e jovens de todas as idades com interesse em desenvolver soluções para a Terra e o Espaço. Estamos em fase de estruturação e assim que o evento for integralmente confirmado, entraremos em contato com os mentores cadastrados que forem selecionados.
Desde já, agradecemos seu interesse e engajamento em impactar e mudar o mundo através do compartilhamento do seu conhecimento.

Data: 19 e 20 de outubro.
Local : Club Job Coworking Campina Grande.

Faça tua inscrição clicando AQUI

Rio Info 2019 – Participe da Sala Digital

Este ano o Salão da Inovação, em sua 10ª edição, no dia 16 de setembro, ira potencializar os empreendedores e suas startups, através de um dia cheio de atividades voltadas para integração entre investidores, mentores, empreendedores, academia e governo.

Teremos uma manhã em que empreendedores de sucesso irão apresentar seus cases no painel Empreendedores e suas histórias e experiências. Venha conhecer histórias de sucesso e suas trajetórias!

A parte da tarde será muito animada, com a apresentação de painel quando os principais atores do ecossistema irão apresentar programas de inovação/aceleração federais e os movimentos de promoção a para inovação da cidade do Rio de Janeiro irão falar sobre seus propósitos.

Teremos, ainda, startups selecionadas, que farão seus pitchies para um grupo de mentores, investidores, acadêmicos e empresários, em quatro grupos: early stages, mvp e startups em tração e cidade Circuito RioInfo.

Faça já sua inscrição clicando AQUI (o prazo termina dia 30/08)

Confira a agenda:

Manhã

Salão da Inovação – Empreendedorismo Raiz

Resumo:

Empreendedores e suas histórias e experiências.

Coordenação:
Claudia Wilson
Luiz Claudio Santos

Programação:
Alterdata – Ladmir Carvalho
Netcenter – Claudio Medeiros
Modulo – Alberto Bastos
Curso em vídeo – Gustavo Guanabara
Tecnologia e Fé – Padre Omar
Waah – Eduardo Dantas
Sescoop RJ – Abdul Nasser

TARDE

Salão da Inovação – Programas e Movimentos de Inovação & Pitchies

Resumo:

Programas de Inovação Federais, Movimentos de Inovação da cidade do Rio de Janeiro, 41 pitchies e Lançamento do 5º. Edital StartupRio.

Coordenação:
Claudia Wilson
Paulo Golzman

Programação:

14h às 14h10 – Abertura
Claudia Wilson
Conect Startup (Abdi Softex) Diones Lima (Softex) & Video Garagem (Bndes) Fernando Rieche & Video

14h10 às 14h40 – 10 Startups Early Stage 3″ Cada

14h40 às 14h50 – Comentários Jurados/ Apuração

14h50 às 15h20 – Painel Startup Rio
* Lançamento Do 5. Edital – Paulo Espanha Coordenador Do Startup Rio
* Painel Edições Anteriores
Representante 1. Edição
Representante 2. Edição
Representante 3. Edição
Representante 4. Edição

15h20 às 15h50 – 10 Startups MVP Stage 3″ Cada

15h50 às 16h – Comentários Jurados/ Apuração

16h às 16h20 – Painel Movimentos Voluntários #Gorio
Cariocas Lídia Pessoa
Juntos Pelo Rio Lindalia Reis
Open Innovation Alexandre Mosquim

16h20 às 16h50 – 10 Startups Tração Stage 3″ Cada

16h50 às 17h – Comentários Jurados / Apuração

17h às 17h30 – 10 Startups Cidades Stage 3″ Cada

17h30 às 17h40 – Comentários Jurados / Apuração

17h40 às 18h – Cerimônia de Premiação
1. Lugar Early Stage
1. Lugar MVP Stage
1. Lugar Tração Stage
1. Lugar Circuito Rio Info

Trabalho sem salário fixo e com jornada reduzida avança e já representa 12% das novas vagas formais

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista, Blogueira de Empreendedorismo e Negócios, Professora Universitária
EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!
#beatriziolanda  #empreendedorismo
————————————————————————

Um aplicativo de recrutamento que liga 5 mil garçons, cozinheiros, cumins, bartenders e outros profissionais “freelancers” da área de bares e restaurantes a mais 200 estabelecimentos programou seu algoritmo para emitir um alerta às empresas quando contratarem mais de duas vezes em uma semana o mesmo funcionário.

Pagos por diária, aqueles que não fazem parte do quadro fixo de empregados poderiam recorrer à Justiça para formalizar um eventual vínculo empregatício caso ficasse comprovado, por exemplo, que a prestação de serviços é habitual, e não extraordinária.

Uma vez comprovado, eles passariam a ter direito, por exemplo, à multa de 40% dos depósitos do FGTS em caso de dispensa sem justa causa.

O app Closeer, lançado em dezembro de 2018 motivado pela reforma trabalhista e pela criação do contrato intermitente, tem entre seus objetivos diminuir a “exposição” das empresas à Justiça do Trabalho – além de diminuir o tempo que bares e restaurantes levam hoje para encontrar funcionários extras.

Vigente desde o fim de 2017, o contrato intermitente é aquele em que a empresa registra em carteira o funcionário, mas sem estabelecer salário ou jornada fixa. O trabalhador pode ser convocado por alguns dias ou horas no mês, a depender da demanda por parte do contratante.

Entre janeiro e junho deste ano, o Brasil criou 408,5 mil vagas com carteira assinada, o melhor resultado dos últimos 5 anos.

Desse total, 50.345, ou 12,32%, são postos de trabalho com contrato intermitente (38,4 mil) ou parcial (11,9 mil). Esta última modalidade já existia, mas foi flexibilizada com a reforma trabalhista, que virou a Lei 13.467.

No mesmo período do ano passado, a participação desses vínculos mais flexíveis no saldo total de vagas formais foi de 9,46%, 33,4 mil ao todo.

O trabalho intermitente vem numa crescente desde o ano passado. Sua participação no saldo de vagas formais registradas pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) saltou de 5,5% no primeiro semestre de 2018 para 9,4% no mesmo período deste ano. Em junho, respondeu por 21% do total de postos criados.

Ele foi um dos pontos mais polêmicos da reforma trabalhista e é frequentemente apontado por críticos como uma “formalização do bico”.

Desde que foi instituída, a modalidade é questionada em uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Supremo Tribunal Federal, lembra Otávio Pinto e Silva, sócio coordenador do setor trabalhista da SiqueiraCastro e professor na USP.

Na ação, uma entidade sindical argumenta que a criação de regimes flexíveis como esse viola princípios constitucionais como o da dignidade humana e do valor social do trabalho.

O advogado reconhece que a criação do trabalho intermitente “atende a uma demanda empresarial”, e pontua que nesse debate também se discute se a modalidade não seria uma alternativa ao desemprego, para garantir “alguma renda” aos trabalhadores em momentos de crise.

“Mas não há como negar que é uma forma de emprego mais precária”, diz o professor, ressaltando que muitos desses trabalhadores, apesar de receberem o que seria proporcional ao pagamento de férias por período de serviço, dificilmente conseguem tirar férias de fato, justamente por terem pouca previsibilidade em relação à jornada.

Para entender se esse aumento das contratações em regimes mais flexíveis significa ou não uma tendência de precarização do mercado de trabalho, para o professor do Departamento de Economia da Universidade de Brasília Carlos Alberto Ramos, “é preciso saber se o trabalhador optou por esse tipo de contrato ou foi ‘obrigado’ a aceitar pelas circunstâncias”.

A BBC News Brasil encontrou exemplos de ambos os casos.

‘Oportunidade de trabalho a gente não pode perder’

Para Joselicia Tavares Félix, o trabalho em jornada parcial significou o fim de um ciclo de um ano e meio de desemprego.

Desde que fora desligada de uma empresa de telemarketing, a jovem de 23 anos e a mãe, com quem mora no bairro do Jaguaré, em São Paulo, vinham fazendo uma série de ajustes nos gastos para acomodar o orçamento doméstico mais restrito.

O primeiro corte foi a internet – seis meses sem banda larga. Depois, a troca de artigos mais caros no supermercado por similares mais baratos.

Jose vinha fazendo bicos “aqui e ali” – trabalhou sem registro como caixa em um restaurante, por exemplo -, mas, quando apareceu a vaga para trabalhar com carteira assinada sete horas por dia às segundas, terças e quartas em uma varejista, ela não teve dúvida.

“Oportunidade de trabalho (formal) a gente não pode perder, né?”

Com os descontos, a remuneração chegava a R$ 380. Foram quatro meses nesse regime, até que lhe ofereceram a jornada “cheia”, de 44 horas semanais.

No fim de julho, quase um ano depois de começar no emprego, ela foi promovida de auxiliar de vestuário a vendedora, com aumento no salário.

“Finalmente os caminhos se abriram”, comemora.

Com casamento marcado para novembro, ela e o noivo, que é ajudante de pedreiro, vêm comprando devagarinho os móveis e eletrodomésticos da casa nova no bairro de Pirituba, em São Paulo. A mãe, que trabalha como auxiliar de limpeza, deu o fogão, e a sogra, a máquina de lavar.

Só falta a TV – mas essa ela deixou para comprar na Black Friday, com desconto.

‘Rezava para cobrir férias’

Para Sabrina* (nome preservado a pedido da entrevistada), a passagem de intermitente para o contrato CLT por prazo indeterminado em uma empresa terceirizada de limpeza em São Paulo foi mais demorada.

Como intermitente, ela geralmente “cobria atestado” – trabalhava quando um funcionário adoecia ou quando havia faltas. A terceirizada entrava em contato com ela por WhatsApp, informava o tipo de serviço, a duração da diária e passava o endereço da empresa contratante.

A jornada de quatro horas pagava R$ 60 mais o transporte e a de oito, R$ 80, transporte e alimentação. Como o trabalho não tinha regularidade, ela não tinha ideia de quanto ganharia no mês.

“Pai e mãe para o filho”, ela diz que “rezava pra cobrir férias”, que lhe rendiam mais por serem períodos mais longos de trabalho. Quando isso não acontecia, sustentava a casa com o que recebe do Bolsa Família. Quase um ano depois, começou a insistir com os coordenadores de que tinha chegado “ao limite”. Ameaçou deixar a empresa e acabou conseguindo um contrato permanente.

De Minas a São Paulo em busca de emprego

Simone Moreira também procurava um trabalho em tempo integral quando encontrou uma posição como intermitente em uma rede varejista.

Já havia feito “um pouco de tudo”: trabalhado como babá, auxiliar em serviços gerais, em loja de roupas. O último emprego com carteira assinada foi em um supermercado, onde passou 8 anos.

Mas, após três meses buscando uma vaga depois de se mudar da mineira Itaipé para São Paulo no início de 2019, ela preferiu aproveitar a oportunidade.

A loja lhe mandava e-mail oferecendo os turnos, em geral para as quintas, sextas e sábados, dias de maior movimento.

Ela deixou Itaipé porque o marido, pedreiro, conseguiu emprego em uma obra na capital paulista. “Lá tá bem parado na área dele.”

Sete meses depois da mudança, a obra acabou, o companheiro conseguiu uma vaga como ajudante em uma padaria e o casal, que mora em Barueri, está juntando de dinheiro para voltar a Minas daqui a alguns anos.

Simone acabou sendo contratada como funcionária permanente, mas lembra que parte dos colegas admitidos para reforçar as vendas no fim do ano foram desligados nos últimos meses.

De doutora em química a ‘beer sommelier’ intermitente

A engenheira química Marcia Lacerda, de 30 anos, foi contratada como intermitente por opção. A modalidade, para ela, traz a flexibilidade de que precisa para estudar para concursos públicos.

Neste ano, a cearense passou três meses trabalhando por alguns dias da semana em um pub em Fortaleza.

Ela acabou fazendo um curso de beer sommelier durante a pesquisa de doutorado – que tem como tema uma enzima que acelera a fermentação da cerveja -, e decidiu procurar o “extra” nessa área.

Como o número de concursos para docente na sua área diminuiu e a concorrência cresceu nos últimos anos, Marcia poupou parte da bolsa da pesquisa de mestrado e doutorado e tem “dois anos garantidos”.

Mas viu no trabalho intermitente uma possibilidade de garantir renda extra. Ela saiu do pub em que trabalhava desde abril por causa da distância de casa, mas segue de olho nas vagas postadas no grupo de uma confraria de mulheres cervejeiras que acabou conhecendo graças ao trabalho.

Precarização?

O economista Carlos Alberto Ramos explica que as modalidades de contrato mais flexíveis foram adotadas em países do sul da Europa como a Espanha para tentar lidar com o desemprego entre os jovens, que alcançou níveis recordes após a crise de 2008.

O trabalho de meio período ou em alguns dias na semana poderia ser uma alternativa para que eles ganhassem experiência para que, em um segundo momento, conseguissem uma vaga em tempo integral.

Nesses países ainda há uma grande discussão sobre esse assunto, que divide opiniões. De um lado, argumenta-se que é preferível um trabalho mais precário ao desemprego.

De outro, há os exemplos de países como Alemanha e Áustria, que conseguem ter um nível de desemprego baixo entre os jovens sem necessariamente recorrer a modalidades mais precárias de emprego. Lá, as escolas são “duais” (misturam teoria e prática) e a transição entre a escola e mercado de trabalho é mais “suave”, diz o especialista em mercado de trabalho.

No caso do Brasil, entretanto, a maior parte dos contratados intermitentes tem mais de 30 anos. Aliás, nas faixas etárias acima de 30 anos só houve saldo positivo de emprego com carteira no primeiro semestre de 2019 em regime de contrato intermitente.

Ou seja, nesses grupos houve mais demissões do que contratações no período.

“Quando esse tipo de trabalho (intermitente ou parcial) envolve mais os adultos, que geralmente são a principal fonte de renda da casa, aí é complicado”, pondera Ramos.

Outra forma de medir se o aumento das contratações intermitentes e com jornadas parciais indica uma precarização seria verificar se esses trabalhadores gostariam de trabalhar mais horas ou por mais dias.

Os dados do Caged não trazem essa informação, mas outra pesquisa mensal sobre o mercado de trabalho, a Pnad Contínua, faz a pergunta aos entrevistados.

O número de pessoas subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas – ou seja, que gostariam de trabalhar mais horas do que efetivamente trabalharam no mês da pesquisa – bateu o recorde da série histórica, iniciada em 2012, atingindo 7,4 milhões.

Esse e outros indicadores – como o do número de desalentados, que segue em nível alto, 4,8 milhões – são um contraponto à redução da taxa de desemprego observada no segundo trimestre e reforçam as avaliações de que não há ainda um sinal claro de reversão da estagnação do mercado de trabalho.

“São variações da série. Um mês o desemprego aumenta, em outro cai. Enquanto a economia não recuperar não vai haver geração consistente de emprego”, avalia o economista.

A queda na taxa de desemprego no trimestre de abril a junho, de 12,7% no primeiro trimestre para 12%, foi concentrada no aumento das contratações sem carteira assinada e por conta própria.

Além disso, tirando os efeitos da sazonalidade – já que no primeiro trimestre o desemprego tradicionalmente sobe, com a dispensa dos temporários contratados para o Natal -, a taxa não variou, se manteve estável em 11,9%, de acordo com os cálculos do banco Itaú.

O garçom aluno de pós-graduação

O goiano Luiz Henrique Pimento, de 38 anos, faz parte das estatísticas de subutilização da força de trabalho.

Pós-graduando em biomedicina no Instituto do Câncer em São Paulo, há um ano ele trabalha como garçom ou cumin freelancer na plataforma Closeer.

Em geral, faz dois serviços por semana, pelos quais recebe R$ 220. O dinheiro vai para o aluguel. As demais despesas são cobertas pela bolsa de pós.

A contratação é informal – algo que, de acordo com Walter Vieira, presidente executivo da Closeer, o aplicativo desaconselha às empresas que usam o serviço. Aos poucos, a plataforma tem sugerido aos profissionais que se tornem microempreendedores individuais (MEI), um movimento iniciado pelos aplicativos de transporte.

No caso específico do trabaho intermitente, um dos motivadores do surgimento do app, a plataforma reforça aos usuários que a modalidade segue questionada na Justiça e alerta sobre possíveis riscos.

Aos 17 anos, Luiz se alistou e passou quatro anos nas Forças Armadas. Foi na Marinha que ele começou a trabalhar na área gastronômica, no restaurante da base. Aproveitou a experiência e foi para Brasília, onde passou seis anos em uma terceirizada que prestava serviços para restaurantes.

Juntou dinheiro, fez faculdade e passou a procurar um emprego na área que escolheu, em radiologia ou medicina nuclear.

Na última semana recebeu a boa notícia: espera o cumprimento da papelada burocrática para começar a trabalhar.

Fonte: BBC
Link: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-49213852

4o PRÉ-EVENTO NASA – Maratona de Empreendedores

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista, Blogueira de Empreendedorismo e Negócios, Professora Universitária
EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!
#beatriziolanda  #empreendedorismo
————————————————————————

4o PRÉ-EVENTO NASA

Dando continuidade aos pré eventos da maior maratona do mundo que desenvolverá empreendedores, Startups, novas tecnologias, inovação e possibilidades para transformar negócios, pessoas e gerar impacto social na humanidade traremos dada vez algumas curiosidades.

O Tenente Coronel da FAB : Luis Felipe Nohra, especialista em Satélites na FAB nos contará um pouco sobre Oportunidades e Desafios da Área Espacial no Brasil e o que podemos contribuir.

_Dia: 19/08/2019 às 19:30h
Local: Coworking Cowmeia_

Inscrições prévias, acesse:

https://lnkd.in/ddruizA

Vem conosco na Maratona da Nasa!??

Mulheres de Dados – Roda de Conversa

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista, Blogueira de Empreendedorismo e Negócios, Professora Universitária
EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!
#beatriziolanda #empreendedorismo
——————————————————————-

14/08/2019
19h
Em Copacabana

Convidadas:

Adriana de Queiroz gerente de comunicação do grupo Mulheres do Brasil e consultora de responsabilidade social da Uniethos
Asla Sá professora de visualização de dados no curso de Modelagem Matemática FGV e pesquisadora de Tecnologias para Herança Cultural
Daniele Dantas Doutoranda em Ciência da Informação e diretora da Axía Inteligência em Negócios Culturais
Doris Kosminsky Coordenadora do Labvis – Laboratório de Visualidade e Visualização UFRJ / Coordenadora da Pós Graduação em Design UFRJ
Julia Gianella – Idealizadora do DatavizRio e pesquisadora no IMPA
Lu Junqueira designer do projeto Cultura nas Capitais
Sil Bahia diretora da Olabi e do projeto PRETALAB com dados sobre mulheres negras na tecnologia

Goiás – Projeto Vereador do Futuro

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista, Blogueira de Empreendedorismo e Negócios, Professora Universitária
EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!
#beatriziolanda #empreendedorismo
——————————————————

PROJETO VEREADOR DO FUTURO

O senador Luiz do Carmo irá promover a partir de agosto o projeto Vereador do Futuro, que irá capacitar os parlamentares de Goiás, possibilitando uma melhor prática de seus mandatos. Um iniciativa pioneira no Brasil.

O vereador interessado terá inúmeras datas para escolher, conforme sua disponibilidade. Todos esses dias irão contar com três palestrantes gabaritados, que irão falar sobre pontos importante na atuação do vereador e sua carreira política. O vereador que participar irá receber um certificado assinado pelo senador.

Com a presença do próprio senador, os cursos serão dados sempre no escritório de Luiz do Carmo, na Av. R-9, 189, Setor Oeste, Goiânia/GO. Sua intenção é capacitar todos os vereadores do Estado, disponibilizando turmas até quando for necessário para conquistar esse ambicioso objetivo.

Para maiores informações, ligue: (62) 3636-5961

2º SIMPÓSIO – A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO DA MULHER NA CONSTRUÇÃO DE UM PARLAMENTO DEMOCRÁTICO

OBS: Essa matéria será atualizada a qualquer momento!

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista, Blogueira de Empreendedorismo e Negócios, Professora Universitária
EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!
#beatriziolanda #empreendedorismo
———————————————————–

NO PRÓXIMO DIA 26 DE SETEMBRO, DAS 8h ÀS 13h, NO CENTRO DE EVENTOS DA UFG (COM CAPACIDADE PARA 6.000 PESSOAS), ACONTECERÁ O 2º SIMPÓSIO – “A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO DA MULHER NA CONSTRUÇÃO DE UM PARLAMENTO DEMOCRÁTICO”, NA CIDADE DE GOIÂNIA (E EM MAIS 5 CAPITAIS DO BRASIL).

O EVENTO CONTA COM A PARCERIA NA ORGANIZAÇÃO, DAS SEGUINTES ENTIDADES:

UFG GOIÁS;
PUC GOIÁS;
OAB GOIÁS;
TJ GOIÁS;
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE GOIÁS;
CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA;

EM BREVE DIVULGAREMOS AS PALESTRANTES CONFIRMADAS.

Concurso Público Senador Canedo com mais de 3 mil vagas para a prefeitura

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista, Blogueira de Empreendedorismo e Negócios, Professora Universitária
EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!
#beatriziolanda #capacitação #gratuito #empreendedorismo #emprego
—————————————————————————-

Prefeitura Municipal de Senador Canedo – GO anuncia Concurso Público destinado à contratação de 3.849 profissionais, sendo que 1.296 oportunidades são imediatas e 2.553 cadastro reserva.

Para participação desta seleção, é necessário que os candidatos tenham Ensino Fundamental incompleto; Médio/ Técnico; Superior nas áreas exigidas.

Há vagas disponíveis para os cargos de: Agente Comunitário de Saúde (22); Agente de: Combate a Endemias (42); Trânsito e Transportes (13); Agente Educacional (141); Analista Administrativo (1); Analistas Ambientais: Biólogo (1); Engenheiro Ambiental (2); Geógrafo (1); Analistas de Saúde: Assistente social (7); Biomédico (5); Enfermeiro (11); Fisioterapeuta (5); Psicólogo (2); Analista Educacional – Psicologia Educacional (1); Analista Jurídico (3); Assistente Administrativo (53); Assistentes de Saúde Técnico de: Enfermagem (78); Laboratório (4); Prótese Dentária (4); Assistente Educacional (6); Assistente Operacional de: Borracheiro (1); Encanador (1); Jardineiro (8); Pedreiro (6); Pintor de Veículos (1); Auxiliares: Administrativo (179); de Saúde Bucal (21); Educacional (40); Operacional (141); Fiscais de Saúde Pública: Alimentação – Engenharia de Alimentos (1); Farmácia (1); Odontologia (2); Veterinária (1); Fiscal de Tributos Municipais (7); Fiscal do Meio Ambiente (6); Guarda Municipal (53); Médicos: Anestesista (2); Clínico Geral (21); Ginecologista e Obstetra (7); Hematologista (1); Pediatra (11); Psiquiatra (6); Operador de Máquina de: Escavadeira Hidráulica (1); Motoniveladora (1); Pá Carregadeira (1); Retro Escavadeira (2); Rolo Compactador (3); Trator Agrícola (4); Procurador Municipal (3); Professor PE 1 de: Ciências (9); Educação Física (9); Geografia (9); História (11); Inglês Inglesa (4); Língua Portuguesa (21); Matemática (21); Pedagogo (275).

Vale ressaltar que algumas destas chances são destinadas à pessoas que se enquadrem nos requisitos especificados no edital.

O salário base ofertado varia de R$ 16,21 por hora aula a R$ 3.160,16 mensais e a carga horária a ser cumprida é de 20h a 40h semanais.

As inscrições serão realizadas 09 de setembro de 2019 a 10 de outubro de 2019, exclusivamente via internet, no endereço eletrônico www.itame.com.br. O valor da taxa a ser paga varia de R$ 50,00 a R$110,00.

Como método de seleção, será realizada Prova Objetiva, de caráter eliminatório e classificatório; Prático-Profissional; Prática; de Aptidão Física; Curso de Formação Inicial e Continuada; Avaliação Psicológica, Investigação Social e Curso Especifico de Formação. Está previsto o dia 09 de fevereiro de 2020 para realização da primeira fase.

O prazo de validade deste certame será de dois anos, contados da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado por igual período.

Fonte: PCI
Link: https://www.pciconcursos.com.br/noticias/concurso-publico-com-mais-de-3-mil-vagas-e-divulgado-pela-prefeitura-de-senador-canedo-go

CURSO GRATUITO – Pós Colheita de Grãos

Curso online totalmente GRATUITO promovido pelo Sistema FAEG.

Inscrições abertas: garanta sua vaga na próxima turma e aprenda como ganhar mais com sua produção de grãos, em qualidade e em $$$$!
Curso de curta duração que ensina a você:
-> a hora certa de vender
-> mercado físico e futuro
-> quem são os compradores
-> quais as formas de entrega mais rentáveis
-> e ainda secagem, análise, logística e armazenagem de grãos.
Faça a tua inscrição pelo link: http://ead.senargo.org.br/cursos/pos-colheita-de-graos

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista, Blogueira de Empreendedorismo e Negócios, Professora Universitária
EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!
#beatriziolanda #capacitação #gratuito #empreendedorismo #emprego

CURSOS GRATUITOS EM INHUMAS – Aproveitem!

O SEBRAE estará disponibilizando GRATUITAMENTE vários cursos de capacitação com certificação na cidade de Inhumas.
Para efetuar a matrícula e garantir a tua vaga, basta apenas acessar o link correspondente ao curso logo abaixo.

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista
“EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!”
————————————————————————–

CURSO – COMO ADMINISTRAR SUA PEQUENA EMPRESA
20/08/19 à 24/08/19
19:00 às 23:00h
https://lojavirtual.sebraego.com.br/loja/evento/1742989

CURSO – DESENVOLVIMENTO DE LÍDERES
10/09/19 à 13/09/19
19:00 às 23:00h
https://lojavirtual.sebraego.com.br/loja/evento/1742995

CURSO – COMO MELHORAR SUAS VENDAS
24/09/19 à 27/09/19
19:00 às 23:00h
https://lojavirtual.sebraego.com.br/loja/evento/1743011

OFICINA – COMO CONSTRUIR UMA LOJA VIRTUAL
02/10/2019
19:00 às 23:00h
https://lojavirtual.sebraego.com.br/loja/evento/1743061

CURSO – GESTÃO DE MARKETING INTERMEDIÁRIO
22/10/19 à 25/10/19
18:00 às 22:00h
https://lojavirtual.sebraego.com.br/loja/evento/1743063

CURSO – COMO MELHORAR O VISUAL DA SUA LOJA
19/11/19 à 22/11/19
19:00 às 23:00h
https://lojavirtual.sebraego.com.br/loja/evento/1743064

CURSO – COMO ATENDER MELHOR SEU CLIENTE
03/12/19 à 07/12/19
19:00 às 22:00h
https://lojavirtual.sebraego.com.br/loja/evento/1743065

Lançamento do Programa Goiás Empreendedor

Empresários goianos de todos os perfis passam a contar com novas linhas de crédito para impulsionar seus negócios. Com o objetivo de fomentar o empreendedorismo, o governador Ronaldo Caiado e o secretário de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Wilder Morais, lançaram nesta terça-feira (23/7) o Goiás Empreendedor. A partir do programa, “14 mil pessoas poderão ser atendidas [em um ano] dentro de um crédito subsidiado, outros com taxa zero”, resumiu o governador. No evento também foi realizado o balanço de seis meses da SIC.

Wilder explicou que haverá “um agente local em todos os municípios goianos para assessorar os interessados em aderirem ao programa”. A iniciativa, disse, vai movimentar a economia e oferecer oportunidades, reduzindo burocracias. São três linhas oferecidas: Micro Crédito (taxa zero até R$ 3 mil e 0,25% ao mês entre R$ 3 mil e R$ 15 mil); Crédito Produtivo (até R$ 50 mil com taxa de 0,5% ao mês) e FCO até R$ 100 mil (taxa a partir de 0,51% ao mês, seguindo as regras do FCO).

Nessa fase inicial, o Goiás Empreendedor terá até R$ 150 milhões disponíveis para operação a partir de um convênio firmado com a GoiásFomento. Paralelo a isso, a SIC prepara uma caravana que percorrerá o interior do Estado com especialistas e estrutura completa para atender o cidadão. Serão oferecidos cursos de capacitação técnica e direções sobre investimentos, ou seja, um suporte para que o empresário se sinta seguro para abrir ou ampliar o seu negócio.

Ao lado do vice-governador Licoln Tejota, Caiado informou que o lançamento de hoje mostra ao cidadão, mais uma vez, que a nova gestão estadual age com transparência e seriedade. “Esses créditos passarão por uma avaliação com critérios 100% técnicos. Não terá um viés politiqueiro ou de apadrinhamento”, salientou ao reforçar que os beneficiados serão empresários que estão na linha de frente, gerando desenvolvimento ao Estado, emprego e renda para as famílias.

Salto na geração de empregos
O governador e o secretário estimam que o trabalho que está em andamento consiga, ao longo desses quatro anos de gestão, apagar as marcas de destruição deixadas pela gestão anterior. Em 2018, Goiás teve o pior resultado da história da produção industrial, com queda de 4,5%, segundo o IBGE. Nos últimos oito meses do ano passado, o setor foi responsável pela demissão de 6,5 mil pessoas.

Wilder Morais fez um resumo do que já foi realizado no primeiro semestre deste ano, que mostra novos rumos. O cenário encontrado era desafiador, pois sequer existia Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços. A partir da criação determinada por Caiado, as ações com foco no desenvolvimento do Estado passaram a ser concentradas, o que ajudou Goiás a alcançar números altamente positivos em tão pouco tempo.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Goiás atualmente é o Estado que mais gera empregos no Centro-Oeste. Maio foi o quarto mês consecutivo de liderança do ranking. Neste período, o saldo da geração de empregos foi de 21.778. Já a indústria de transformação acumula 5.540 ocupações, se somados os cinco primeiros meses do ano.

A SIC também intermediou negociações com empresas e indústrias dos mais diversos segmentos, o que resultou na assinatura de 44 protocolos de intenções para instalação de unidades em Goiás. O investimento previsto, calculou o secretário, supera a marca de R$ 2,3 bilhões. “A expectativa é gerar 25,6 mil empregos diretos e indiretos. Para se ter uma ideia, isso é a somatória de 2017 e 2018, o que foi desenvolvido no governo anterior”, comparou Wilder.

Com a atração dessas novas empresas, o incremento esperado é de R$ 400 milhões anuais em ICMS, no prazo de um ano e meio. Tudo isso deve injetar R$ 8 bilhões ao PIB goiano, quando todas já estiverem operando. O impacto mais positivo de todas esses dados, observou o titular da SIC, será sentido na vida das pessoas. Para ilustrar o cenário, ele utilizou uma frase de Caiado: “A maior ação social do nosso governo vai ser geração de emprego e renda”.

Marca presente nesse governo é a regionalização do desenvolvimento. “Nós queremos levar a oportunidade e emprego para as pessoas nos municípios que hoje não têm oportunidade alguma de absorver o trabalho e a mão de obra dos jovens que lá estão. Esse é o grande desafio para regiões como o Entorno, o Norte, Nordeste goianos e o Vale do Araguaia”, reforçou Caiado.

Projetos e avanços
De olho em ações futuras, o Governo de Goiás planeja internacionalizar o Aeroporto de Goiânia. Sobre o projeto, que pode ter protocolo de intenções assinado em setembro, Caiado comentou que vai reforçar ainda mais o potencial do Estado em atrair negócios e também fomentar o turismo. “Goiano é um povo ousado. Queremos fazer linha direta com a Europa, Estados Unidos, Ásia, esse é o objetivo.”

Já na área dos incentivos fiscais, o Produzir contou com 26 projetos inclusos nesse primeiro semestre. O investimento fixo é de R$ 865.538.028. As empresas beneficiárias estão instaladas em 10 municípios de cinco regiões diferentes. Já os projetos de viabilidade econômica só serão aprovados a partir da apreciação do Conselho Deliberativo do Fomentar, e da Comissão Executiva do Produzi. O incremento de ICMS previsto ao caixa do Tesouro, até 2020, será de R$ 1,4 bilhão.

Sobre as 347 obras paralisadas, ligadas ao programa Goiás na Frente, Wilder informou que 106 já foram vistoriadas em um mês. Todas deverão passar por análise. A SIC firmou, ainda, um Termo de Cooperação Técnica com o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) para notificar os engenheiros responsáveis pelas obras a apresentarem relatórios.

No âmbito da GoiásTurismo, houve a reabertura da Casa do Turismo e a construção de um planejamento estratégico para a agência, além do apoio e acompanhamento de diversas ações que fomentam a área. Por fim, a Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg) registrou a abertura de 11.720 novas empresas este ano, com saldo positivo de 5.272, entre abertura/fechamento.

Estiveram presentes no evento os secretários Anderson Máximo (Casa Civil), Ernesto Roller (Governo), Marcos Cabral (Desenvolvimento Social), Ismael Alexandrino (Saúde), Adriano Rocha Lima (Desenvolvimento Econômico e Inovação), Pedro Sales (Administração), Valéria Torres (Comunicação); tenente-coronel Luiz Carlos de Alencar (Casa Militar); o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Dewislon Adelino Mateus; o chefe de gabinete de Gestão da Governadoria, Lyvio Luciano; o assessor especial de Relações Internacionais, Giordano Cavalcante; os presidentes Rivael Aguiar (Goiás Fomento), Pedro Leonardo Rezende (Emater), Paulo César Reis (Metrobus), Gilvan Cândido (Goiásprev), Euclides Barbo (Juceg), José Essado (Agrodefesa), Marcos Roberto Silva (Detran), Robson Domingos Vieira (Fapeg), Edson Sales (Próliquidação), Elizeth Araújo (ABC); o conselheiro Joaquim de Castro (Tribunal de Contas dos Municípios); e os subsecretários da SIC, Adonídio Vieira (Atração de investimentos e negócios), César Moura (Fomento e competitividade); e Desirée Penalba (Emprego e geração de renda).

Participaram, ainda, os deputados estaduais Rafael Gouveia, Amilton Filho, Cairo Salim, delegado Eduardo Prado; os superintendentes Luciano Berno (Banco do Brasil), Antônio Erivaldo Sales (Infraero), Derly Cunha Fialho (Sebrae Goiás); os presidentes de entidades Rubens Fileti (Acieg), André Rocha (em exercício na Fieg), Marco César Chaul (em exercício na Fecomércio), Flávio Rodovalho (representante Adial Goiás), Frederico Antunes (subprocurador Geral do Estado); os ex-deputados Frederico Nascimento; Rose Cruvinel; Leandro Sena; os prefeitos José Diniz (Abadiânia), Alair Gonçalves (Cocalzinho de Goiás) e João Batista Cabral (Pirenópolis); além do presidente regional do Avante, Thialu Guiotti, e o empresário Juliano Fleury.

Fonte: Tribuna do Planalto
Link: http://tribunadoplanalto.com.br/2019/07/24/governador-lanca-goias-empreendedor-com-linhas-de-credito-e-suporte-a-empresarios/

FEBRACE – 18 Feira Brasileira de Ciências e Engenharia

A FEBRACE é uma feira anual de Ciências e Engenharia que envolve projetos de estudantes das escolas públicas e particulares de todo o Brasil, em diversas categorias estabelecidas a partir das Ciências (Exatas e da Terra, Biológicas, da Saúde, Agrárias, Sociais e Humanas) e Engenharia e suas Aplicações.

A FEBRACE tem como principais objetivos estimular novas vocações em Ciências e Engenharia através do desenvolvimento de projetos criativos e inovadores, e aproximar as escolas públicas e privadas das Universidades, criando oportunidades de interação espontânea entre os estudantes e professores das escolas com a comunidade universitária (estudantes universitários, professores, funcionários) para uma melhor compreensão dos papéis das Universidades em Ensino, Pesquisa, Cultura e Extensão.

Estudantes que em 2004 estejam cursando a 8º série do Ensino Fundamental ou o Ensino Médio ou o Ensino Técnico das escolas públicas e particulares de todo o Brasil que submetem seus projetos no prazo estabelecido e que tem seus projetos selecionados pelo Comitê de Seleção como finalistas para participação. Apenas os projetos selecionados, que passam a ser denominados projetos finalistas, participarão da feira em 2005.

Apenas estudantes nascidos APÓS 02 de Maio de 1984 podem participar da FEBRACE 2005.

Os estudantes podem participar individualmente ou em grupos de no MÁXIMO trêsestudantes por projeto. Todos os projetos devem ter a participação de um adulto orientador, com mais de 21 anos de idade.

Para acesso à FEBRACE clique aqui.

Hactown, o maior festival aberto de inovação da América Latina

Nos dias 5 a 8 de setembro, mais de seis mil pessoas são convidadas a “hackear” com tecnologia, inovação e experiências transformadoras a pequena cidade de pouco mais de 30 mil habitantes localizada no sul do Estado de Minas Gerais. O Instituto Regeneração Global (IRG) irá nortear diversas ações no evento e o portal regeneracaoglobal.com será o canal oficial do Hacktown para receber a participação de startus e iniciativas inovadoras para Feira Hello World, programas de mentoria, validação de ideias e palestras.

Durante os quatro dias de evento Hacktown, mais de 600 palestras, showcases, feiras, oficinas, workshops e vivências acontecem simultaneamente em todos os auditórios, teatros, bares, restaurantes e outros locais de convivência, como praças e bibliotecas públicas. “O objetivo é realmente transformar o cotidiano de toda cidade e possibilitar acesso a muito conhecimento, experiências e conexões únicas para as pessoas que participam”, afirma Marcos David, um dos organizadores do evento.

Hacktown em sintonia com a Regeneração Global

Uma das ações mais importantes no Hacktown 2019 acontece na feira Hello World. Nesta feira mais de 100 empresas inovadoras e sustentáveis se apresentarão para o público e participarão de rodadas de investimento com mais de 20 fundos, além de dezenas de palestras de conhecimento sobre inovação e empreendedorismo.

Para cadastrar sua solução na feira Hello World, e também nos programas Pitch Session (apresentações de 5 minutos sobre a solução), Beta Try (dinâmica para validação da ideia), Speed Mentoring (mentoria com profissionais) e Startup Talks (palestras de até 18 minutos). Para saber mais e se inscrever no programa acesse: https://regeneracaoglobal.com/cadastro-de-solucoes-hacktown.

A Feira Hello World está sendo organizada em cooperação com Campinas Tech, organização que reúne os três Parque Tecnológicos de Campinas (SP) e Inovativa Brasil. Também contamos com apoio do movimento Open Innovation, Inconformakers e Coporate Hackers, entre outros.

Como e Por que Participar do Hacktown:

Um dos pontos de destaque é que diferentemente de eventos tradicionais com programação definida, no Hacktown é de fato impossível acompanhar tudo que acontece, e este cenário convida para criação de roteiros individuais únicos de acordo com o perfil de cada participante. “Para cada pessoa há uma Hacktown diferente, e esta percepção cria uma atmosférica de entusiasmo único onde todos querem realmente aproveitar ao máximo cada conhecimento e experiência vivenciada”, ressalta Marcos.

Não se deixe enganar pela tranquilidade das ruas de Santa Rita do Sapucaí. Trata-se de uma cidade ligada à tecnologia e à inovação desde a década de 60, quando foram criados a ETE, o Inatel e a FAI, três dos responsáveis por transformá-la em um polo gerador e que atrai mentes inovadoras. Hoje, o município abriga mais de 160 empresas de tecnologia, ganhando o apelido de “Vale da Eletrônica”. Tudo isso sem perder aquele clima de cidade do interior, com gostinho de comida feita no forno a lenha e de café quentinho passado na hora. O tipo de lugar que permite uma conexão especial entre as pessoas. O lugar perfeito para o HackTown acontecer.

Os ingressos variam de R$ 280 a R$ 580 e podem ser obtidos no link https://web.lets.events/e/hacktown-2019/.

Conta de luz ficará mais cara em agosto

Em agosto a conta de luz ficará mais cara, com bandeira tarifária vermelha, patamar 1, tendo um acréscimo de R$ 4,00 para cada 100 kW/h consumidos. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), a justificativa do aumento este mês se deve ao período de seca nas principais bacias hidrográficas do país.

Em julho, a bandeira tarifária era amarela, com acréscimo de R$ 1,50 para cada 100 kW/h consumidos. Geralmente esse é um valor que poucos se atentam, mas que pode causar danos nas finanças das famílias. Por isso, esse é o momento de redobrar o cuidado para que não haja susto na hora de pagar a conta.

Momento de economizar

Segundo dados do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), o chuveiro elétrico é um dos grandes vilões no preço da conta de luz, representando cerca de 25% do valor em uma casa com quatro pessoas. Por isso é preciso sempre ficar atento à duração dos banhos diários, mesmo que no inverno.

Outra medida que pode fazer a diferença é substituir as lâmpadas convencionais por lâmpadas de LED, que além de economizar muito mais energia, iluminam melhor e têm uma durabilidade maior, sem a necessidade de serem trocadas com tanta frequência.

Outras dicas

Em dias mais quentes, utilizar o ar condicionado para manter o ambiente climatizado é, sem dúvida, muito bom, mas é válido manter o aparelho entre 23ºC e 26ºC, pois quanto mais as temperaturas baixerem, o consumo tende a aumentar proporcionalmente.

Nem todos se atentam a esse detalhe, mas deixar aparelhos eletrônicos conectados na tomada, mesmo que desligados, gera o consumo de energia elétrica, portanto lembre-se de conectá-los apenas quando for utilizá-los.

Fonte: Jornal Opção
Link: https://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/conta-de-luz-ficara-mais-cara-em-agosto-200868/

Receita Federal requer que todas as transações com Bitcoin sejam reportadas a começar de hoje

A partir de hoje, 1º de agosto, os cidadãos brasileiros são obrigados a informar sobre suas transações de criptografia com a receita federal do país do país para fins de recolhimento de Imposto de Renda (IR).

Empresas  Brasileiras devem reportar todos os tipos de transações com criptomoedas

Como reportado pelo Cointelegraph Brasil, hoje, transações envolvendo criptomoedas como Bitcoin (BTC)) devem ser reportadas ao IR de acordo com as regras estabelecidas pela Instrução Normativa 1.888, introduzida em maio de 2019.

Conforme reportado pela Agência Nacional de Notícias, Agência Brasil, a nova medida se aplica a pessoas físicas, empresas e corretoras, e inclui todos os tipos de atividades relacionadas à criptomoedas, incluindo compra e venda, bem como doações, permutas, depósitos, saques e outros.

A medida exige que as empresas do ramo forneçam relatórios mensais até o final do mês seguinte ao mês em que ocorreram transações relacionadas a criptomoedas, observa o relatório. Como tal, as informações para o mês de agosto devem ser fornecidas até o último dia útil de setembro.

De acordo com as regras, as exchanges de criptomoedas locais terão que informar à Receita Federal todas as operações, independentemente do valor. No entanto, aqueles que usam bolsas ou corretoras estrangeiras, ou fazem transações peer-to-peer em moedas digitais, terão que relatar sobre as transações se o valor mensal exceder 30.000 reais (US $ 7.800), reporta a Cointelegraph Brasil.

Multas vão de 1.5% to 3% da quantia de transações não declaradas

Aqueles que não informarem sobre suas transações de criptomoedas poderão enfrentar penalidades que variam de 100 a 500 reais ou de 25 a 130 dólares. A Receita Federal também está autorizada a cobrar de 1,5% a 3% do valor da transação não declarada como multa, segundo a Agência Brasil.

A Receita Federal acredita que o mercado de moedas digitais no Brasil tem mais investidores do que a segunda bolsa de valores mais antiga do Brasil, a B3, que supostamente tem cerca de 800.000 clientes. Ao aplicar a medida, a autoridade pretende combater atividades ilícitas, como lavagem de dinheiro, evasão fiscal e financiamento ao terrorismo, observa o relatório.

Recentemente, o chefe da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo expressou a preocupação de que os brasileiros pudessem começar a usar a criptomoedas para escapar dos impostos.

Fonte: CTLG
Link: https://br.cointelegraph.com/news/irs-brazil-requires-reporting-all-bitcoin-transactions-starting-today

Investiu em criptomoedas como bitcoin? Veja novas regras para declarar…

A partir desta quinta-feira (1º), será necessário declarar à Receita Federal as operações com criptomoedas, como bitcoin. O tipo de obrigação varia conforme quem faz as operações: pessoa física, empresas, no Brasil ou exterior. Veja a seguir cada caso: Pessoas físicas que negociam só com corretoras brasileiras: declaram na hora de fazer a declaração anual do Imposto de Renda, como já acontece hoje. Caberá à corretora informar as movimentações mensalmente à Receita. Entretanto, de posse do detalhamento das operações, a Receita poderá ser mais rigorosa na fiscalização da declaração anual.

Pessoas físicas que negociam diretamente com outras pessoas, sem a intermediação de corretoras nacionais: têm de prestar contas à Receita mensalmente, mas só quando houver movimentações acima de R$ 30 mil no mês.

Pessoas físicas e empresas brasileiras que usarem corretoras estrangeiras: devem declarar só quando o valor mensal das operações ultrapassar R$ 30 mil.

Corretoras brasileiras: terão de informar mensalmente todas as operações realizadas, independentemente do valor. Têm de ser informadas todas as transações realizadas por seus clientes, como compra, venda, transferência, permuta ou outras operações.

Multa mínima de R$ 100 por mês. A pessoa física poderá ser multada em R$ 100 por mês se atrasar a entrega da declaração mensal com as operações realizadas. A multa sobe para R$ 500 por mês caso o contribuinte seja intimado pela Receita a prestar as informações. Se alguma operação estiver incorreta, incompleta ou for omitida, há ainda a cobrança de multa de 1,5% sobre o valor da operação.

Um manual com todas as orientações foi publicado pela Receita em junho.

Fonte: UOL
Link: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/08/01/operacoes-com-criptomoedas-bitcoin-devem-ser-declaradas-a-receita.htm