Goiás: AGR autoriza aumento da tarifa de água e esgoto

Por meio de resolução normativa, a Saneago está autorizada a reajustar as taxas em 5,79%. O Conselho da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) aprovou o aumento da tarifa de água e esgoto em todo o Estado. A adequação deve ocorrer a partir do próximo dia 1° de julho.

Com a alteração, as taxas cobradas pela categoria Residencial Social terão valor de R$ 6,36. Já a categoria Comercial II, R$ 6,72; e, por fim, as categorias Comercial I, Industrial, Pública e Residencial Normal terão valor de R$ 13,45.

BIA EMPREGA – INHUMAS : O primeiro feirão de empregos da Região

Dia: 29/Jun/2019
Horários:
08:00 às 12:00 (início e término do evento)
09:00 (Palestra com certificação de horas)
Local: Centro Comunitário Irmã Benjamina (Inhumas – GO)

Assista o vídeo acima para saber de todas as oportunidades (empregos e estágios)que estarão disponíveis do evento para já ir preparado(a), pois é necessário alguns procedimentos e pre-requisitos.

Para maiores informações, entre em contato AQUI e fale diretamente com nosso whatsapp.

Ele será transmitido ao vivo via net (You Tube) e depois será disponibilizado no Portal BEATRIZ IOLANDA, no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

O BIA EMPREGA é o primeiro feirão de empregos de Inhumas e região e estamos contando com a ajuda da população para realizar este evento de caráter social. Disponibilizaremos vagas para todas as pessoas: portador de necessidades especiais, que não tem muita capacitação, é estudante, etc… Estamos na luta para te ajudar na dignidade do teu sustento.

Leva tua família sem problemas pois sabemos que alguns não tem com quem deixar suas crianças ou idosos.

Importante:
– Ainda precisamos de muita ajuda: voluntariado, material, cadeiras entre outras coisas…
– Peço ajuda também para as pessoas de bom coração que possam doar uma garrafa de café, um pacotinho de bolacha, água… pois teremos muitas crianças e idosos que acompanharão seus familiares que estão em busca de uma vaga e muitas vezes sairão de suas casas sem comer ou beber nada.

Oportunidades:
– Trabalhos em geral (Inclusive vagas para portadores de necessidades especiais).
– Estágios para alunos acima de 16 anos que já estejam cursando o Ensino Médio (não pode ser EJA para vagas de estágio).
– Disponibilização no Painel de vagas já disponíveis para que o próprio trabalhador possa entrar em contato direto.

Capacitação:
Será ministrada uma palestra e a mesma contará com certificação de horas presenciais
Esta palestra (bem como o evento) será transmitida ao vivo pelo Youtube e depois será disponibilizada no Portal BEATRIZ IOLANDA, Instagram, Twitter, LinkedIn e Facebook

Obrigada de Coração!

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
(Economista, Professora Universitária e Blogueira de Empreendedorismo e Negócios… Porém, o mais importante é que também sou mãe, filha, mulher, trabalhadora e cidadã… e acredito muito na boa vontade das pessoas)
Tenhamos FÉ sempre!
😇♥🙏🙏

 

Confiança dos empresários atinge menor nível desde outubro

O Índice de Confiança Empresarial (ICE), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 2 pontos de abril para maio. Com a queda, o indicador atingiu 91,8 pontos, em uma escala de zero a 200, o menor nível desde outubro último.

Desde janeiro, o índice, que mede a confiança dos empresários da indústria, dos serviços, do comércio e da construção, acumula queda de 5,7 pontos, de acordo com a FGV.

O Índice de Situação Atual, que apura a confiança no presente, caiu 0,7 ponto, indo para 89,5 pontos. Já o Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, recuou 2,2 pontos, para 96,1 pontos.

Os quatro setores pesquisados pela FGV tiveram queda na confiança empresarial: indústria (-0,7 ponto), serviços (-3,1 pontos), comércio (-5,4 pontos) e construção (-1,8 ponto).

De acordo com o pesquisador da FGV Aloisio Campelo Jr., o resultado retrata uma economia com um nível de atividade fraco e com um quadro de relativo pessimismo com a possibilidade de uma aceleração consistente nos próximos meses.

Indicador de incerteza da economia tem maior nível

O Indicador de Incerteza da Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV) subiu 2,2 pontos de abril para maio e atingiu para 119,5 pontos. Esse é o maior nível desde setembro de 2018: 121,5 pontos.

O indicador é medido em uma escala de zero a 200 em que as pontuações mais próximas de 200 mostram um cenário de maior incerteza.

A alta foi influenciada pelo componente de mídia, baseado na frequência de notícias com menção à incerteza na mídia, que subiu 3,3 pontos entre abril e maio.

Já o componente de expectativa, construído a partir da média dos coeficientes de variação das previsões dos analistas econômicos, registrou queda de 3,1 pontos.

Para a pesquisadora da FGV Raíra Marotta, essa segunda alta consecutiva do indicador reflete, em maior grau, a instabilidade do ambiente político brasileiro e, em menor escala, a guerra comercial entre Estados Unidos e China.

Ela acredita que indicador recue nos próximos meses, quando se terá maior clareza quanto à aprovação da Reforma da Previdência e com relação ao abrandamento das tensões entre o Executivo e Legislativo.

Fonte: Agencia Brasil
Link: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-05/confianca-dos-empresarios-atinge-menor-nivel-desde-outubro

BRASIL: PIB negativo e dólar subindo

O dólar virou para o lado positivo ante o real na manhã desta quinta-feira, 30, após ter começado a sessão alinhado ao viés de baixa da moeda americana ante seus pares principais e divisas emergentes ligadas a commodities no exterior.

Após o anúncio de que o PIB brasileiro do primeiro trimestre caiu 0,2% na margem, confirmando a mediana das expectativas do mercado, o investidor se posiciona na defensiva à espera da segunda estimativa do PIB dos EUA do primeiro trimestre (9h30). O intervalo de previsões para o PIB ia de queda de 1,0% a elevação de 0,37%.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2018, o PIB brasileiro apresentou alta de 0,5% no primeiro trimestre de 2019, vindo também igual à mediana das estimativas, calculada pelo Projeções Broadcast. O intervalo ia de uma queda de 0,40% a alta de 1,13%. O PIB do primeiro trimestre de 2019 totalizou R$ 1,713 trilhão.

Mais cedo, foi divulgado também que o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) desacelerou a 0,45% em maio, após 0,92% em abril. O resultado ficou abaixo da mediana de 0,55% das estimativas da pesquisa do Projeções Broadcast, mas dentro do intervalo de expectativas, que ia de 0,33% a 0,64%. Em 12 meses, o IGP-M também perdeu força, de 8,64% em abril para 7,64% em maio. Esse resultado também ficou aquém da mediana de 7,75%. No ano, o indicador acumula alta de 3,56%.

Fonte: Isto é
link: https://istoe.com.br/pib-negativo-do-brasil-nao-surpreende-e-dolar-sobe-com-pib-dos-eua-no-foco/

Inhumas: Curso Desenvolvimento de Líderes

O SEBRAE Goiás vai ministrar o Curso Desenvolvimento de Líderes na Cidade de Inhumas nos próximos dias 10, 11, 12 e 13 de Junho de 2019 para quem tiver interesse na comunidade.

O curso oferecido pelo SEBRAE Goiás é totalmente GRATUITO (Inclusive o material).
Não é necessário comparecer a nenhum lugar pessoalmente para reservas de vagas. A inscrição pode ser feito facilmente pela internet AQUI.

Aproveite esta oportunidade para se capacitar!

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista
#beatriziolanda
EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!

Preço do diesel irrita caminhoneiros, e risco de nova greve aumenta

A ameaça de greve dos caminhoneiros está de volta, motivada pelo reajuste de 2,56% do óleo diesel, anunciado ontem pela Petrobras. A indignação da categoria não é só contra a estatal, mas também por causa de medidas não cumpridas pelo governo. Representantes de transportadores autônomos admitem que, no conjunto da obra, ficou mais difícil controlar o clamor por uma paralisação nacional.
O aumento de preço sobre o principal combustível utilizado pelos caminhões teria repercutido imediatamente no grupo de WhatsApp do Comando Nacional do Transporte, o principal canal de comunicação em que líderes dialogam sobre pautas da categoria. Os mais revoltados iniciaram um debate sobre uma data de paralisação por meio de obstrução de rodovias, como aconteceu em 2018. Os menos indignados sugeriram chegar em comboio a Brasília e permanecer no estacionamento do Estádio Mané Garrincha. Seria uma forma de pressionar o governo, sem greve, mas com intimidação.
A maioria dos autônomos cogita unir forças com outra parcela da categoria, capitaneada por Wanderlei Alves, o Dedéco, que havia incitado uma greve para 29 de abril, mas abortou a ideia depois de ser atendido pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.
A reunião de Dedéco com o governo, em 22 de abril, ampliou um distanciamento que existia dentro da categoria. O autônomo, que representa alguns transportadores na Região Sul, sobretudo no Paraná, se alinhou aos sindicatos, representados pela Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA). A proximidade enfureceu uma parcela maior de lideranças que não se sentem representadas pela entidade. A revolta contra o Estado, no entanto, pode unir a classe, admite Ivar Schmidt, líder do Comando Nacional do Transporte.
Caso essa união aconteça, a greve seria muito semelhante à de 2018. “Somos representantes de um setor que depende diretamente de uma economia que parou. Não tem mais carga para transportar. E isso vai criando um clima bélico que está por um fio para explodir com a falta de pautas atendidas”, analisou Schmidt. A classe cobra, sobretudo, as fiscalizações da jornada de trabalho e do piso mínimo de frete. O reajuste do diesel é mais um elemento que impacta o setor, levando o valor do combustível de R$ R$ 2,2470 para R$ 2,3047 nas refinarias.

Fiscalização

A fiscalização da jornada de trabalho pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) é uma exigência que, na prática, pode equilibrar o excesso de oferta com a demanda — o principal problema do setor —, por meio de uma redução prevista do número de caminhões completando os percursos de carga e descarga. O governo se dispôs a construir pontos de parada para que possam descansar, mas os autônomos alegam que é algo paliativo, uma vez que, atualmente, repousam em postos de combustíveis e outros pontos.
O monitoramento do piso mínimo é outra exigência que visa cumprir a legislação. Em 24 de abril, a Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT) reajustou a tabela em uma média de 4,13%, após uma oscilação do óleo diesel superior a 10,69% no período acumulado desde janeiro. Entretanto, caminhoneiros alegam que a correção não é cumprida. A fiscalização pode ser feita pelo Documento de Transporte Eletrônico (DT-e), ferramenta que reunirá uma série de informações contratuais.
O mecanismo está em gestação na ANTT, que prometeu implementar ainda em abril, mas retardou a entrega alegando problemas no sistema. É o que afirma o caminhoneiro Wallace Landim, um dos líderes da categoria e um dos principais responsáveis pela última greve. Na terça, ele se reunirá com os técnicos competentes da criação. Se a resposta for negativa, com apresentação de mais prazo, garante que atuará para mobilizar uma paralisação.
Fonte: Correio Braziliense
Link: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2019/05/04/interna_politica,753063/preco-do-diesel-irrita-caminhoneiros-e-risco-de-nova-greve-aumenta.shtml

Brasil não pode integrar Otan, mas pode ser parceiro

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg, negou nesta sexta-feira (3) que o Brasil possa integrar o bloco. No entanto, em entrevista à agência Reuters, ele afirmou que o país – assim como outros latino-americanos – pode se tornar “um parceiro muito próximo” do grupo.

Durante a visita do presidente Jair Bolsonaro a Washington, o norte-americano Donald Trump disse querer o Brasil como um “aliado prioritário extra-Otan” ou mesmo “membro da Otan”. No entanto, somente países da Europa, além de Estados Unidos, Canadá e Turquia, integram a aliança.

Perguntado se o Brasil poderia algum dia fazer parte do bloco, Stoltenberg negou. “Parceiros não são membros, e sim parceiros muito próximos”, afirmou.

O presidente Jair Bolsonaro e o presidente dos EUA Donald Trump fazem declaração à imprensa durante conferência na Casa Branca, em Washington — Foto: Brendan Smialowski/AFP

O presidente Jair Bolsonaro e o presidente dos EUA Donald Trump fazem declaração à imprensa durante conferência na Casa Branca, em Washington — Foto: Brendan Smialowski/AFP

“Nós trabalhamos muito próximos com nossos parceiros, prática e politicamente, essa é uma maneira muito boa para reforçar a cooperação entre a Otan e países que não integram a aliança”, completou Stoltenberg.

A Otan foi fundada em 1949, logo no início da Guerra Fria, como um pacto militar dos países alinhados com os Estados Unidos. Após o esfacelamento da União Soviética em 1991, algumas nações que antes faziam parte do bloco comunista – como Polônia e Hungria – passaram a integrar a organização.

Um dos princípios da organização, hoje com 29 países, garante aos integrantes o princípio de defesa coletiva. Ou seja: um eventual ataque a um ou mais países-membros do grupo será encarado como uma agressão a todos os demais integrantes.

O caso da Colômbia

Novo edifício-sede da Otan em Bruxelas — Foto: Reuters/François Lenoir

Novo edifício-sede da Otan em Bruxelas — Foto: Reuters/François Lenoir

A Colômbia recebeu status de parceiro global da Otan em 2017 – o primeiro na América Latina. O organismo tem parceria também com Austrália, Nova Zelândia e mesmo europeus que não fazem parte da aliança, como Suécia e Finlândia.

Com o status, a Colômbia e a Otan podem participar de cooperação. No entanto, os colombianos não integram o pacto de defesa coletiva, ou seja, não precisariam participar de uma ação militar dirigida por toda a aliança – nem necessariamente teria o apoio de toda a aliança caso fossem atacados.

Perguntado sobre o Brasil, Stoltenberg disse ser possível que o Brasil se torne parceiro global da Otan, mas não garantiu que isso vá ocorrer. “Bem, alguém teria de propor e o próprio Brasil teria de requerer isso. Nós acertamos com a Colômbia para que ela se tornasse um parceiro próximo, portanto é completamente possível incluir outros países da América Latina”, respondeu.

“Mas teríamos de receber um pedido expresso [dos países] da América Latina e, claro, precisaríamos discutir [a possível parceria] com todos os 29 países membro da Otan”, concluiu Stoltenberg.

Aliado dos EUA extra-Otan

O presidente Jair Bolsonaro entrega camisa da Seleção Brasileira de futebol para Donald Trump; presidente norte-americano também presenteou Bolsonaro — Foto: REUTERS/Kevin Lamarque

O presidente Jair Bolsonaro entrega camisa da Seleção Brasileira de futebol para Donald Trump; presidente norte-americano também presenteou Bolsonaro — Foto: REUTERS/Kevin Lamarque

O status da Colômbia não é a mesma coisa que o Brasil pleiteava com Trump: o de se tornar um aliado prioritário extra-Otan dos Estados Unidos. Até porque esse título diz respeito a uma parceria militar bilateral com os norte-americanos, sem envolver a aliança internacional.

Ao entrar no rol de aliados extra-Otan dos EUA, o Brasil consegue:

  • Tornar-se comprador preferencial de equipamentos e tecnologia militares dos EUA;
  • Participar de leilões organizados pelo Pentágono para vender produtos militares;
  • Ganhar prioridade para promover treinamentos militares com as Forças Armadas norte-americanas.

Ao todo, 17 países receberam essa classificação do governo norte-americano. Confira na arte abaixo.

Integrantes da Otan e países aliados prioritários extra-Otan — Foto: Roberta Jaworski/G1

Petrobrás sobe o preço da gasolina para o maior valor em 6 meses

Petrobras informou na última segunda-feira (29) que o preço médio do litro gasolina nas refinarias vai subir 3,5%, para R$ 2,045 o litro, a partir de terça-feira (30). O preço do diesel segue sem estável.

O preço médio da gasolina estava estável desde 23 de abril. A Petrobras reduziu a frequência de reajustes na gasolina neste ano. Para evitar perdas, defende que tem utilizado de mecanismos de hedge.

Neste mês, a estatal anunciou uma mudança na divulgação dos seus preços de combustíveis. A Petrobras decidiu passar a publicar em seu site os valores dos combustíveis em todos os seus pontos de venda, e não mais a média como fazia anteriormente.

Segundo a Petrobras, a mudança na publicação dos preços atende a pedidos do mercado e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que se queixavam de que a média nacional não dava a transparência necessária sobre como a petroleira estava atuando em seus pontos de venda.

Fonte: Petrobrás (Imagem)
Link: https://folhaimpacto.com.br/noticia/1230/urgente-petrobras-sobe-o-preo-da-gasolina-para-o-maior-valor-em-6-meses

98% das ações trabalhistas mundiais originam-se no Brasil

Segundo declarações do ministro Barroso do STF, em 2017, o Brasil tinha 98% de todas as ações trabalhistas do mundo. No ano de 2016, foram aproximadamente 3.900.000 processos. Após a reforma trabalhista houve uma redução de 36,5% no número de processos, mas o Brasil ainda tem mais processos trabalhistas do que todo o resto do mundo somado.

Situações como esta geram o famoso “Custo Brasil”. Benefícios que muitas vezes parecem favoráveis aos trabalhadores acabam encarecendo os custos de produzir no Brasil. Estes custos maiores são repassados para os preços de todos os produtos e serviços que consumimos. Para piorar, quando o custo de produzir no Brasil fica mais alto do que o de trazer o mesmo produto do exterior, fábricas são fechadas aqui, seus trabalhadores são demitidos e o desemprego aumenta. Com desemprego alto, os salários caem.

Em resumo, os direitos trabalhistas que supostamente protegeriam os trabalhadores acabam gerando preços mais altos, desemprego maior e salários mais baixos.

 

Fonte: https://www.facebook.com/isenseealbuquerque/photos/a.284122248589034/767270313607556/?type=3&theater

Imagem e dados: Empreendedorismo na prática
Fonte: https://www.facebook.com/isenseealbuquerque/photos/a.284122248589034/767270313607556/?type=3&theater

Super-ricos ficam com 82% da riqueza gerada no mundo em 2017, diz estudo

Cerca de 7 milhões de pessoas que compõem o grupo dos 1% mais ricos do mundo ficaram com 82% de toda riqueza global gerada em 2017, aponta um estudo divulgado nesta segunda-feira (22) pela organização não-governamental britânica Oxfam antes do Fórum Econômico Mundial, que ocorre em Davos, na Suíça.

A metade mais pobre da população mundial, por outro lado, não obteve nada do que foi gerado no ano passado.

Para fazer seus levantamentos, a ONG britânica de combate à pobreza usa dados sobre bilionários da revista “Forbes” e informações sobre a riqueza em escala global de relatórios do banco Credit Suisse.

1 bilionário a cada 2 dias

Número de bilionários no mundo cresce a nível inédito, diz ONG
Jornal Nacional. Entre os mais ricos do mundo, há um grupo ainda mais VIP, formado apenas por bilionários. Segundo o estudo, o número de bilionários registrou o maior crescimento histórico. Entre março de 2016 e março de 2017, o mundo ganhou um novo bilionário a cada dois dias e o grupo somou 2.043 pessoas. A cada 10 deles, nove são homens, ao passo que, entre os mais pobres, a maioria é mulher.

A Oxfam atribuiu o crescimento isso a dois fatores:

  • A variação positiva das principais bolsas de valores do mundo eleva o patrimônio dessas pessoas, que possuem muitos ativos financeiros. “Eles estão mais sujeitos ao sabor das variações na Bolsa”, explica Rafael Georges, coordenador de campanhas da Oxfam.
  • A quantidade de distribuição de lucros e dividendos também cresceu e ajudou a levar o patrimônio de ricos ao patamar bilionário. Mas isso, diz Georges, foi feito às custas da precarização de relações trabalhistas. O movimento, conduzido entre 2008, início da crise global, e 2012, foi realizado por cerca de 100 países. Em 2017, chegou atrasado ao Brasil, que colocou sua reforma em prática somente em novembro.

Renda

No ano passado, a riqueza da elite global aumentou em US$ 762 bilhões, quantia suficiente, segundo a Oxfam, para acabar com a pobreza extrema mais de sete vezes. Enquanto isso, a metade mais pobre da população mundial vive com renda diária entre US$ 2 a US$ 10.

De acordo com cálculos da entidade britânica, dois terços da riqueza dos bilionários é oriunda de heranças, rendimentos vindos da atuação empresarial em setores monopolizados e de vantagens adquiridas por meio de relações com os governos.

Super-ricos x super-pobres

Citando dados do banco Credit Suisse, o estudo mostra que a distância entre os muito ricos e os muito pobres continua aumentado. E, diminuí-la, exigiria um crescimento da economia que é insustentável para o meio ambiente.

Entre 1980 e 2016, o grupo 1% mais rico ficou com 27% do crescimento da renda global. No mesmo período, a metade mais pobre do mundo ficou com 13% da riqueza gerada.

Caso esse nível de desigualdade se mantenha, fazer todos passarem a ganhar US$ 5 a mais por dia necessitaria que a economia crescesse 175 vezes.

Bilionários x super-pobres

A Oxfam revisou a quantidade de bilionários que detém a mesma renda de metade da população mais pobre do mundo. O relatório anterior aponta que, em 2016, só oito bilionários detinham renda equivalente à metade mais pobre do mundo.

Essa comparação é feita com base em informação do Credit Suisse, que alterou a metodologia de cálculo de patrimônio no fim do ano passado. A reavaliação constatou um aumento substancial nas posses dos mais pobres em países como China, Índia e Rússia. Como são muito populosos, o número de bilionários cuja renda em 2016 equivalia à dos mais pobres ficou em 61.

Em 2017, uma maior concentração de renda no topo e um aperto mais intenso na base econômica levaram o número para cima: 42 bilionários concentram a mesma quantidade de dinheiro da metade mais pobre da população global.

O cálculo varia de país para país. Nos Estados Unidos, o patrimônio somado das três pessoas mais ricas equivale ao da metade mais pobre da população norte-americana, cerca de 160 milhões.

No Brasil, os cinco maiores bilionários possuem o mesmo que a metade debaixo da pirâmide econômico.

Fonte: G1
Link: https://g1.globo.com/economia/noticia/super-ricos-ficam-com-82-da-riqueza-gerada-no-mundo-em-2017-diz-estudo.ghtml

O Brasil não pode parar outra vez

 *Por Maione Padeiro

Quando leio notícias como às que têm sido divulgadas em relação ao aumento do preço dos combustíveis, como o do diesel, e a possibilidade de nova greve dos caminhoneiros – que foi anunciada para o fim deste mês (dia 30 de abril) -, fico muito preocupado com o que pode acontecer e as consequências para nossa economia e a vida do brasileiro no geral.
No ano passado, quando houve a greve dos caminhoneiros o Brasil parou e o País não pode parar. Pessoas impedidas de ir e vir, alimentos perecíveis que tiveram de ser descartados (como litros de leite derramados dos caminhões), o preço da gasolina e do álcool nas alturas, chegando a custar até R$ 10 o litro. Um verdadeiro clima de terror, insegurança e incertezas em relação ao futuro, que mais parecia cenas do filme “Mad Max”.
Não podemos viver tempos tão sombrios como este cenário. O Brasil é uma nação rica e seu povo trabalhador. A mobilização e exigências por preços justos é mais que válida, mas é necessário analisar até que ponto uma greve geral dos caminhoneiros será a solução para que o governo recue e não haja aumento do preço dos combustíveis.
Uma paralisação como a que ocorreu anteriormente prejudica não somente o empresariado, que deixa entregar suas mercadorias e/ou serviços, mas a população de forma geral. Quando um produto não chega na prateleira, a lei da oferta e demanda é aplicada da forma mais primitiva que existe e o mais afetado (não positivamente) é o trabalhador.
Temos que organizar as entidades de classe, os representantes dos setores produtivos e a população em geral para cobrar dos governantes uma política de preços justos dos combustíveis, além de melhores condições para escoamento e distribuição da produção. Se todos se unirem, ao invés de enxergar o empresariado como inimigo, será possível uma solução. O Brasil não pode parar outra vez!

* Maione Padeiro é presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial da Região Leste de Aparecida de Goiânia (Acirlag)

Empresário, saiba o que é a Carta-Consulta! (E como ela pode ajudar)

carta-consulta é o documento que descreve ações e custos previstos na execução dos projetos que se pretende contratar com recursos externos e a contrapartida que é oferecida pelo mutuário pretendente.

Este é um serviço oferecido pela nossa consultoria para empresários que desejam financiar empreendimentos principalmente pelos fundos governamentais.

Conheça todos os nossos outros serviços e saiba como eles podem ajudar seu empreendimento  a se desenvolver.

SAIBA MAIS…

Café Empresarial da ACIRLAG recebe Secretária de Economia de Goiás

Na última quinta-feira aconteceu o Café Empresarial da Associação Comercial e Industrial do Leste de Aparecida de Goiânia contando com a presença da Secretária de Economia do Estado de Goiás, Critiane Alkimin Shimith e empresários da Região, bem como autoridades e representantes da imprensa goiana.

Durante o evento foram discutidas novas formas de apoio aos empresários locais, no sentido de desenvolver ainda mais a região que, naturalmente, já é ponto industrial estratégico em Goiás.

A secretária garantiu atender às demandas o mais rápido possível e garantiu um olhar diferenciado à região.

O presidente da Associação, Maione Padeiro declarou que está comprometido com a melhora e total apoio aos investimentos e infraestrutura para que a economia possa se desenvolver de maneira organizada e coerente com o bem-estar dos cidadãos.

A Associação dos Servidores Aposentados de Apoio Fazendário do Estado de Goiás foi criada na última segunda-Feira

A Associação dos Servidores Aposentados de Apoio Fazendário do Estado de Goiás foi criada na última segunda-Feira dia 08/Abr/2019, pelos antigos servidores da fazenda do Estado de Goiás. Na ocasião, foi eleita como presidente a Sra Meirevam Yamamoto.

A associação objetiva principalmente paridade salarial entre os ativos e inativos, bem como uma fonte de força e união em prol de lutar por mais direitos na Assembléia do Estado de Goiás.

O evento foi realizado no escritório da Advocacia Martins de propriedade do Advogado Délio Martins, no setor Jaó em Goiânia, contando com muitos interessados em se integrar à esta instituição.

O evento contou com várias autoridades presentes, como: deputados, vereadores, secretários e representantes de instituições relacionadas, onde os mesmos afirmaram total apoio no sentido de lutar pelos interesses da classe

Veja o vídeo da presidente.

Para entrar em contato com a Associação:
Meirevan Yamamoto (62 9 9973 0228)
Felipe Curado (62 9 991 0249)

ESocial: Cadastramento Termina Em 9 De Abril

Empresários optantes pelo Simples Nacional devem ficar atentos ao calendário do eSocial. Termina em 9 de abril o prazo para cadastramento no sistema e envio de tabelas. Esse grupo é formado ainda por empregadores pessoa física (exceto domésticos), produtores rurais pessoas físicas e entidades sem fins lucrativos. Segundo o Ministério da Economia, já são mais de 23 milhões de trabalhadores cadastrados na base do eSocial.

Para o processo de migração para o sistema do eSocial foram definidos quatro grupos de empresas. Cada grupo tem quatro fases para a transmissão eletrônica de dados. A primeira fase é destinada à comunicação dos eventos de tabela e dos cadastros do empregador. A segunda etapa engloba os eventos não periódicos, ou seja, o envio de dados dos trabalhadores e seus vínculos com a empresa. A terceira fase compreende os eventos periódicos: informações sobre a folha de pagamento. Na última fase são exigidas informações relativas à segurança e à saúde dos trabalhadores.

As empresas optantes pelo Simples Nacional fazem parte do terceiro grupo de empresas a migrar totalmente para o sistema do eSocial. A conclusão da inserção do primeiro grupo envolveu as 13.115 maiores empresas do país, que já estão transmitindo os eventos para o eSocial, com exceção das informações referentes à Saúde e Segurança do Trabalho (SST), que deverão ser enviadas a partir de julho de 2019.

Já o segundo grupo, composto de empresas com faturamento, no ano de 2016, de até R$ 78 milhões e não optantes pelo Simples Nacional, iniciará agora em abril a substituição da GFIP – Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) e de Informações à Previdência Social para recolhimento de contribuições previdenciárias. O quarto grupo, que iniciará o processo de cadastramento em janeiro de 2020, é formado por entes públicos e organizações internacionais. A última fase deste grupo está prevista para janeiro de 2021, data em que, segundo as expectativas, todo o processo deverá estar finalizado no Brasil.

Fonte: Ministério do Trabalho
Imagem: https://blog.sage.com.br/esocial-nao-deixe-pra-ultima-hora/

Brasil pode ter a pior década na Economia em pelo menos 120 anos, diz FGV

A economia brasileira poderá ter a pior década em, pelo menos, 120 anos, segundo um estudo publicado hoje pela FGV (Fundação Getulio Vargas). Entre 2011 e 2018, a economia brasileira cresceu, em média, 0,6% ao ano, de acordo com o estudo, que considerou dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O país pode ter seu desempenho, entre 2011 e 2020, abaixo, inclusive, do registrado nos anos 1980, a chamada “década perdida”. Na década de 1980, a economia cresceu, em média, 1,6% ao ano. Para a década atual não ser a pior em termos de crescimento econômico, 2019 e 2020 deve ter crescimento somado de, pelo menos, 5,7%, “o que parece bastante improvável”, diz o estudo.

Se for considerada a previsão de economistas para o PIB (Produto Interno Bruto) em 2019 (2,01%) e 2020 (2,8%), o Brasil chegará ao final desta década com crescimento médio de 0,9% ao ano. Esse resultado é o pior pelo menos desde 1901, ano em que a FGV começou a medir o PIB brasileiro.

“Então podemos concluir que os anos 2011-20 foram mais ‘perdidos’ do que a chamada ‘década perdida’ dos anos 1980”, afirmou a FGV. Últimos 4 anos foram os piores O desempenho da economia brasileira nesta década foi pior nos últimos quatro anos (de 2015 a 2018), período que estiveram na Presidência Dilma e Temer.

Fontes:
Texto https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/03/25/brasil-pib-decada-perdida-estudo-fgv.htm
Imagem http://candidolourencon.com.br/wordpress/?p=2284

IBGE – Curso gratuito de capacitação e recuperação automática

O que acha de aprender com o próprio IBGE a visualizar os dados do instituto?

Estão abertas, até quinta-feira (28/3), as inscrições para o primeiro curso online de capacitação no Sistema IBGE de Recuperação Automática – Sidra, a plataforma interativa de visualização de dados das pesquisas produzidas pelo instituto.

O curso conta com 600 vagas e carga horária de 15 horas.

ACIRLAG leva demadas à SEFAZ Goiás

Na tarde desta terça-feira (19/Mar/29) uma comissão chefiada pelo Presidente da ACIRLAG (Associação Comercial do Leste de Aparecida de Goiânia), Sr Maione Padeiro, filho do saudoso vereador Geraldo Padeiro, foi até a SEFAZ Goiás levando demandas de interesse da regão.

Muito se foi falado e discutido durante à reunião e a Secretária da Fazenda de Goiás, Cristiane Shimith, escutou cuidadosamente todas as informações apresentadas pelo grupo.

Foi deixada clara a intenção da ACIRLAG em promover o desenvolvimento de Aparecida e região e frisado que, para isto, seria necessário o apoio da SEFAZ Goiás nesta empreitada.

Grande empresários que acompanharam a visita, se mostraram confiantes ao final da reunião, onde a Secretária mostrou carinho e interesse pela associação e tudo o que ela vem promovendo para Aparecida de Goiânia.

A Secretária Cristiane Shimith foi convidada pela comissão para frequentar alguns eventos que serão promovidos pela ACIRLAG em Aparecida de Goiânia e a mesma aceitou prontamente comparecer para que sejam seladas mais parcerias entre a SEFAZ e os empresários que promovem e movimentam a economia local.

O Sr Maione Padeiro também informou que brevemente haverá novidades referentes aos benefícios gerados para os associados. E reforça que o interesse da ACIRLAG, antes de mais nada, é o progresso de Aparecida de Goiânia.