Todos os post de Beatriz Iolanda

BEATRIZ IOLANDA PEIXOTO DE FREITAS: Economista, Palestrante, Consultora Empresarial, Escritora, Roteirista, Colunista e Professora Universitária.

Como tornar reuniões de trabalho mais produtivas

*Por Sofia Esteves, presidente do conselho do grupo Cia. de Talentos

Quantas reuniões eu tenho hoje? Você acha que esta frase parte da sua rotina? Pois bem, não adianta menosprezá-las. As reuniões fazem parte do nosso dia a dia e são essenciais para estabelecermos uma comunicação com a equipe e clientes. Quando são bem executadas por todos participantes, elas se tornam uma ferramenta importante para o bom andamento dos projetos e na resolução de problemas de forma coletiva, além de trazerem vantagens valiosas aos profissionais, por meio de um ambiente ideal para a troca de ideias e sugestões sobre um determinado assunto, abrindo espaço para que todos os participantes possam contribuir com opiniões e sugestões.

No final das contas, todos ganham com boas reuniões corporativas. Mas, a grande questão está na organização, na forma e na duração em que elas são feitas. Com a vida no ambiente de trabalho é atribulada é preciso otimizar os encontros na resolução de questões de forma planejada, estruturada e efetiva. As reuniões não precisam ser longas e cansativas, basta manter o foco e a produtividade e elas também contribuem na diminuição do stress, ansiedade e traz mais segurança e calma para a rotina profissional.

Vamos a algumas dicas que podem servir como guia:

– Desligue o celular
Sim, desligue. Um dos grandes motivos de reuniões sem resultados efetivos, são as distrações durante esse período e um dos principais motivos é o celular. Ele é uma desatenção constante, tirando o foco do tema principal. Tenham em mente que não serão alguns minutos que prejudicarão alguma tomada de decisão, além de ser falta de educação para quem está liderando a discussão.

Brasil – Receita Federal exclui 521 mil empresas devedoras do Simples Nacional

Receita Federal excluiu 521.018 micro e pequenas empresas que não quitaram os débitos com o Simples Nacional, regime especial de tributação para as pessoas jurídicas de menor porte.

Em setembro, 732.664 empresas haviam sido notificadas de débitos previdenciários e não previdenciários com a Receita e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Quem não regularizou a situação foi excluído em 1º de janeiro.

As empresas excluídas devem R$ 14,46 bilhões ao Simples. Elas podem pedir a reinclusão no regime especial até 31 de janeiro, desde que quitem os débitos antes dessa data. A dívida pode ser paga à vista ou seguir o parcelamento ordinário, em até cinco anos, com pagamento de multas e juros.

A consulta à situação fiscal da empresa e os pedidos de regularização podem ser feitos por meio do Portal do Simples Nacional na internet.

Regime simplificado de pagamentos de tributos federais, estaduais e municipais, o Simples Nacional beneficia micro e pequenas empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano.

3 erros que fracassam teus negócios

Sua ideia de negócio começou genial, mas agora está indo para o buraco? Há uma boa chance de que a causa desse fracasso seja a briga constante com seus sócios. Pode ser também seu desconhecimento sobre a melhor forma de captar dinheiro para financiar a operação. Ou, ainda, algum obstáculo legal que você não estava esperando.

Essas são as razões mais apontadas por empreendedores e investidores para o fim das startups que criaram ou em que aportaram. O escritório de advocacia Nogueira, Elias, Laskowski e Matias (NELM) entrevistou 108 donos de empresas e investidores para elaborar o estudo Panorama Legal das Startups, que aponta os motivos de insucesso nos negócios inovadores e indica como superar tais obstáculos.

Confira, a seguir, os 3 erros mais comuns que fazem ideias geniais fracassarem:

 Desentendimento entre sócios

Cerca de 67% dos empreendedores acreditam que a maior causa de fracasso de sua startup é a discussão entre os donos sobre questões não definidas no contrato de sociedade. Essa percepção é reforçada pelos investidores. Cerca de 54% deles enfrentaram impasses societários com os fundadores, enquanto 46% disseram que o principal problema que viram em startups fracassadas foi a incompatibilidade dos sócios na hora de gerir o empreendimento.

Para fugir desse problema, documentos como o acordo de sócios e o memorando de entendimentos são essenciais independentemente do porte do negócio. Os papéis definirão, por exemplo, quais as responsabilidades de cada fundador; como será a divisão e a administração da sociedade; e quais são as cláusulas que impedem concorrência e vazamento de informações caso algum dono saia da empresa. Mesmo com tanta importância, apenas 46% dos empreendedores entrevistados assinaram um acordo de sócios.

 Falta de dinheiro (e de conhecimento)

Segundo o NELM, 57% dos empreendedores acreditam que a dificuldade em captar investimentos foi a causa do fracasso de sua startup, diante da falta de conhecimento sobre modalidades de arrecadação. Para 46% dos investidores, perceber que o empreendedor não sabe qual a melhor forma de conseguir dinheiro para sua startup inibe aportes.

É importante conhecer as diversas modalidades de captação porque elas podem significar maior ou menor proteção ao investidor e maior ou menor ingerência dele no negócio. Cerca de 54% dos investidores sofreram com a falta de informações sobre a melhor estrutura societária para a realização de seus investimentos, enquanto 38% destacaram que deveriam ter escolhido um modelo de tributação melhor.

Adquirir uma participação societária, por exemplo, é muito mais arriscado ao investidor do que um mútuo conversível ou uma sociedade em conta de participação (SCP), modalidades que garantem o não-envolvimento do investidor nos riscos decorrentes da atividade da empresa. “Investimentos mais seguros e com tributações adequadas poderiam impulsionar a captação de recursos pelas startups, fomentando o crescimento desse ecossistema”, afirma Eduardo Felipe Matias, sócio do NELM e coordenador do levantamento.

 Desorientação legal

Para 36% dos empreendedores, suas startups fracassaram por conta do desconhecimento da regulação a legislação específicas à sua área de empreendimento. Por isso, 46% dos donos de negócios entrevistados acreditam que a validação jurídica do modelo de negócio justifica até a contratação de uma assessoria no ramo.

Toda startup precisa de um planejamento jurídico, o que inclui pesquisar as normas aplicáveis à atividade exercida pelo empreendimento. A empresa talvez precise da autorização do poder público para operar, como o Banco Central no caso das fintechs ou da Anvisa no caso das startups de saúde.

Fonte: Exame
Link: https://exame.abril.com.br/pme/ideias-geniais-fracassam-por-3-erros-que-a-maioria-comete/

Goiânia – Um espaço especial chamado Instituto Padma

*Por Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas

Carolina Prestes e Beatriz Iolanda no Instituto Padma

Ontem, 15/Jan/2019 tive a oportunidade de visitar um lugar novo e fazer novas amizades. Fui ao Instituto Padma.

Carolina Prestes, coordenadora do Instituto Padma

Este espaço em Goiânia, é um oásis diferenciado no Setor Oeste, próximo ao Zoológico. Uma casa numa rua tranquila e cheio de luz e acolhimento. Um lugar pra se sentir em casa.

O Instituto Padma é coordenado pela jovem Anna Carolina Prestes que  que possui vasta experiência e coragem para encarar o desafio de melhorar outras pessoas. Ela é coach e professora de Karatê (onde é campeã na modalidade).

O Instituto Padma oferece várias atividades e eventos:

  • Karatê para mulheres
  • Coach para mulheres
  • Coach em grupo para mulheres empreendedoras
  • Encontro para mulheres empreendedoras
  • Programa “Mulheres ensinam Mulheres”

O Instituto Padma divide espaço com o Instituto Bacae que também oferece algumas alternativas muito interessantes como:

  • Games
  • Terapias – Reiki
  • Yoga
  • Aluguel de salas e quintal (espaço ao ar livre)

Contatos:
Instituto Padma – Rua R-14, número 141, Setor Oeste, Goiânia – Goiás – Brasil.
Fone: 00 55 62 9 8557 2967
Instagram: @institutopadma

Conheça o Instituto Padma! Esta é a dica de empreendedorismo para hoje que eu dou para vocês! E na minha palavra vocês sabem que podem confiar!

Abraços a todos!

Beatriz Iolanda Peixoto de Freitas
Economista e Consultora
www.beatriziolanda.com
EMPREENDEDORISMO É O NOSSO FOCO!
#beatriziolanda

Brasil – Receita paga R$ 667 milhões em restituições

A Receita Federal paga nesta terça-feira (15) R$ 667 milhões em restituições de lotes residuais do Imposto de Renda Pessoa Física dos exercícios de 2008 a 2018. Um total de 257.094 contribuintes estão nesses lotes. Consulte aqui sua situação.

Para saber se teve a declaração liberada e está neste lote, o contribuinte deverá acessar a página da Receita ou ligar para o Receitafone 146.

Página de consulta a restituições do IR. — Foto: Receita Federal/Reprodução

Página de consulta a restituições do IR. — Foto: Receita Federal/Reprodução

Na consulta, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados. Nesta hipótese, o contribuinte pode fazer a correção pela entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza, ainda, um aplicativo para tablets e smartphones para consultar as informações sobre a restituição do IR e a situação cadastral no CPF.

Resgate

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer o pedido pela Internet, mediante o Formulário Eletrônico (Pedido de Pagamento de Restituição), ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento pelo telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em seu nome, em qualquer banco.

Fonte: G1
Link: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/01/15/receita-paga-nesta-terca-r-667-milhoes-em-restituicoes-de-lotes-residuais-do-ir.ghtml

Brasil – Mercado eleva previsão de crescimento do PIB de 2019

Os analistas do mercado financeiro melhoraram a previsão de crescimento da economia em 2019, segundo dados divulgados pelo Banco Central (BC) nesta segunda-feira (11). Os economistas também aumentaram a previsão para a taxa de inflação deste ano.

De acordo com dados do relatório de mercado, conhecido como Relatório Focus, a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019 passou de 2,53% para 2,57%. Já a previsão da inflação passou de 4,01% para 4,02%.

O Relatório Focus é resultado de levantamento feito na semana passada com mais de 100 instituições financeiras.

ESTIMATIVAS DO RELATÓRIO FOCUS

PREVISÃO 2018 2019
Produto Interno Bruto (PIB) 1,3% 2,57%
Inflação 3,69% 4,02%
Taxa básica de juros (Selic) 6,5% 7%

Fonte: Banco Central

Próximos anos

Os economistas dos bancos não alteraram as previsões de crescimento do PIB e da inflação para 2020 e 2021. Para 2020, a previsão é que a inflação fique em 4% e que a economia cresça 2,5%.

Já para 2021 a previsão de crescimento do PIB é de 2,5% com uma inflação de 3,75%.

Taxa básica de juros

O mercado manteve 7% ao ano a previsão para a taxa de juros, a Selic, no fim deste ano. Atualmente, o juro básico da economia está em 6,50% ao ano, na mínima histórica.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne a cada 45 dias para definir a taxa Selic, com base no sistema de metas de inflação.

Outras estimativas

  • Dólar – A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2019 ficou estável em R$ 3,80 por dólar.
  • Balança comercial – Para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), a projeção de superávit em 2019 subiu de US$ 52 bilhões para US$ 52,24 bilhões.
  • Investimento estrangeiro – A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2019, subiu de US$ 79,5 bilhões para US$ 80 bilhões.

Fonte: G1
Link: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/01/14/mercado-eleva-previsao-de-crescimento-do-pib-para-este-ano.ghtml

Goiás – IGH oferece 323 vagas com salários de até R$ 13 mil em Goiânia

Instituto de Gestão e Humanização (IGH) realiza inscrições para processo seletivo nos dias 10, 11 e 14 de janeiro (quinta, sexta e segunda-feira) para contratação celetista e formação de cadastro de reserva.

O processo pretende preencher 323 vagas entre três unidades: Hospital Estadual Materno-Infantil Dr Jurandir do Nascimento (HMI), Hospital Estadual de Urgências de Aparecida de Goiânia Dr Cairo Louzada (Huapa) e Hospital Estadual e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (HEMNSL)

O edital está disponível na página do IGH e a mesma pode ser acessada clicando AQUI.  A carga horária das vagas variam entre 12h e 44h semanais, e os salários entre R$ 1.033,26 e R$ 13.686,00. O processo seletivo também inclui vagas para pessoas com deficiência.

Os cargos disponíveis são de Agente de Portaria, Analista de Departamento Pessoal, Anestesiologista, Auxiliar de Farmácia, Auxiliar de Lavanderia, Auxiliar de Manutenção, Cardiologista, Cirurgião Bucomaxilofacial, Coordenador Médico, Cirurgião Geral, Cirurgião Pediátrico, Cirurgião Vascular, Eletricista, Encarregado de Manutenção, Endocrinologista, Engenheiro Civil, Engenheiro de Segurança do Trabalho, Gastropediatra, Infectologista, Médico Clínico, Médico Ginecologista, Médico Intensivista, Nefropediatra, Neonatologista, Nutricionista, Obstetra, Ortopedista, Odontólogo, Pediatra, Pedreiro, Pintor, Técnico de Laboratório, Técnico em Refrigeração.

Inscrições

Acesse o link AQUI
Onde: Escritório Regional do IGH em Goiás – Avenida Perimetral, quadra 37, lote 74, s/n, Setor Coimbra
Horário: das 8h às 15h – com formulário de inscrição devidamente preenchidos e documentos em mãos, de acordo com o edital
Quando: 10, 11 e 14 de janeiro (quinta, sexta e segunda-feira)
Outras informações: (62) 3217-8956
Inscrição é gratuita.

Brasil – Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano

A inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), neste ano deve ficar em 4,02%. Essa é a previsão de instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) todas as semanas sobre os principais indicadores econômicos.

Na semana passada, a projeção para o IPCA estava em 4,01%. A estimativa segue abaixo da meta de inflação que é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%, neste ano.

Para 2020, a projeção para o IPCA segue em 4%. Para 2021 e 2022, a estimativa permanece em 3,75%. A meta de inflação é 4%, em 2020, e 3,75%, em 2021, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente).

O BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano, para alcançar a meta da taxa inflacionária.De acordo com o mercado financeiro, a Selic deve encerrar 2019 em 7% ao ano e subir em 2020 para 8% ao ano, permanecendo nesse patamar em 2021 e 2022.

O Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic para conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando o Copom diminui a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação. A manutenção da taxa básica de juros indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Atividade econômica

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – foi ajustada de 2,53% para 2,57% neste ano. Para os próximos três anos, a previsão de crescimento é 2,50%. A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,80 no final deste ano e de 2020.

Fonte: Agência Brasil
Link: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-01/mercado-financeiro-preve-inflacao-em-402-neste-ano

Brasil – Entenda como funciona o modelo de capitalização da Previdência

O governo vai incluir o modelo de capitalização na proposta de reforma da Previdência que será enviada ao Congresso em fevereiro, informou nesta terça-feira (09/Jan/2019) o ministro da Economia, Paulo Guedes.

A capitalização é uma espécie de poupança que o trabalhador faz para garantir a aposentadoria no futuro, na qual o dinheiro é investido individualmente, ou seja, não ‘se mistura’ com o dos demais trabalhadores. O modelo atual é o de repartição, no qual quem contribui paga os benefícios de quem já está aposentado.

A ideia é que a capitalização substitua gradualmente o atual sistema. Essa migração foi proposta no plano de governo de Bolsonaro durante a campanha eleitoral.

Para Guedes, o atual modelo de repartição é insustentável, devido ao envelhecimento da população brasileira. O Brasil passa por uma transição demográfica, em que o número de idosos que dependem de trabalhadores ativos vem aumentando ano a ano.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a relação de dependência no Brasil vai saltar dos 11% atuais para 36% até 2050. Ou seja, para cada 100 adultos aptos a contribuir, o país terá 36 idosos para sustentar.

Fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/01/09/entenda-como-funciona-o-modelo-de-capitalizacao-da-previdencia.ghtml

Brasil – eSocial passa a valer para empregadores do Simples Nacional

Entra em vigor nesta quinta-feira (10) a obrigatoriedade de adesão ao eSocial para empregadores do Simples Nacional (incluindo MEI), empregadores pessoa física (exceto doméstico), produtor rural PF e entidades sem fins lucrativos.

O eSocial é uma ferramenta que reúne os dados trabalhistas, fiscais, previdenciários das empresas em uma só plataforma. Ele substitui o preenchimento e a entrega de formulários e declarações que até então eram enviados a órgãos diferentes como a Previdência, o Ministério do Trabalho e a Receita Federal.

Nesta primeira fase, os empregadores deverão fazer o cadastro do empregador e tabelas. A segunda fase, que compreende os dados dos trabalhadores e vínculo de emprego, começa em abril para este grupo.

Veja abaixo as fases de entrega ao eSocial para todos os grupos:

  1. Cadastro do empregador e tabelas;
  2. Dados dos trabalhadores e vínculo de emprego;
  3. Folha de Pagamento;
  4. Substituição da guia de contribuições previdenciárias (GFIP);
  5. Substituição da guia para recolhimento do FGTS (GFIP);
  6. Dados de segurança e saúde do trabalhador.

O não envio dentro dos prazos pode gerar atraso nos recolhimentos e penalidades para as empresas.

Fonte: G1
Link: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/01/10/esocial-passa-a-valer-para-empregadores-do-simples-nacional.ghtml

Goiás – Governo Federal não fará empréstimo para pagamento de folha

Agora, a equipe de Caiado busca outro caminho, mas já adianta a necessidade de parcelar o salário de dezembro de 2018.

A secretária da Fazenda do Governo de Goiás, Cristiane Schmidt, disse que o Governo Federal não realiza empréstimos para que os poderes estaduais possam pagar folha de servidores. Segundo ela, essa foi uma resposta obtida em reunião com equipe do Tesouro Nacional na última terça-feira (8) e é uma prerrogativa prevista em Lei.

Cristiane convocou coletiva de imprensa para esta quarta-feira (9) e depois seguiu para Brasília, onde se reuniria com o ministro da Economia, Paulo Guedes. O objetivo, segundo ela, é buscar outra alternativa para Goiás. Ela ainda não sabe qual será a solução.

Apesar de dizer que o caminho ainda está indefinido, Cristiane aponta que os salários só poderão ser pagos por meio do parcelamento. O Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Goiás reafirmou, em coletiva de imprensa após a da secretária, que não aceita o parcelamento dos salários e aguarda nova proposta.

“A ideia é trabalhar de forma responsável. Já estou conversando com os bancos, temos que melhorar a estrutura, para saber como vamos pagar a nossa dívida”, disse Cristiane. As equipes do governador Ronaldo Caiado (DEM) e do presidente Jair Bolsonaro (PSL) se reunirão no dia 14 de janeiro para definir estratégias de recuperação fiscal para Goiás.

O Fórum Estadual de Defesa dos Servidores Públicos de Goiás defende o pagamento da folha e dezembro antes de janeiro. “O governador falou que quer pagar e os servidores querem receber o salário. Nós queremos o pagamento cronológico, ou seja, dezembro antes de janeiro”, afirmou o presidente do Sindipúblico e integrante do fórum, Nylo Sérgio.

Fonte: https://www.emaisgoias.com.br/governo-federal-nao-vai-fazer-emprestimo-para-pagamento-de-folha-diz-secretaria/

Goiás – Inflação de 2018 fecha em 5% em Goiânia

Segundo o Instituto Mauro Borges, feijão carioca, batata inglesa, cebola e banana prata foram os alimentos que mais registraram variação no ano passado.

O ano de 2018 fechou com a inflação acumulada em 5,05% em Goiânia. O número corresponde a 1,65% a mais que 2017, quando foi registrado 3,40% no valor dos produtos. O grupo dos alimentos foi o principal responsável pela variação apresentada, já que ficaram em alta durante quatro meses do ano passado.

De acordo com o economista Marcelo Eurico de Sousa, do Instituto Mauro Borges (IMB), as hortaliças, as raízes e os tubérculos são os alimentos que elevaram significativamente a inflação deste grupo. O feijão carioca (25,07%), a batata inglesa (25%), a cebola (25,95%) e a banana prata (24,63%) foram os produtos que mais registraram variação no preço. “O motivo da alta desses produtos foram os fatores climáticos, que prejudicaram a safra”, afirma. A refeição fora de casa também encareceu, alcançando a taxa de 0,81% a mais no preço do peso do almoço.

Além dos alimentos, o relatório do Instituto aponta outros grupos que apresentaram resultado positivo no último ano, que foram a comunicação (5,79%), vestuário (1,075%), a saúde e cuidados pessoais (0,68%) e os artigos residenciais (1,01%).

Educação (-0,37%), despesas pessoais (-0,28%), transportes ( -0,73%) e habitação (-0,68%) tiveram variação negativa em dezembro. Os itens que mais tiveram queda nos preços foram uniforme escolar (-4,84%), ginástica (-2,04%), gasolina comum (-4,22%) e energia elétrica (-4,60%). ​

Segundo Marcelo, neste início de 2019 o consumidor ainda deve sentir no bolso os efeitos da inflação do ano passado, principalmente na hora da compra dos materiais escolares. Ele destaca também os impactos que podem ocorrer no grupo dos transportes, como, por exemplo, o ajuste da tarifa do transporte coletivo e o aumento do valor do etanol.

Quanto às perspectivas econômicas para 2019, o economista alerta: “O que está em alta, deve continuar”, afirma.

Goiás – Estado libera pagamento de dezembro para 7 órgãos

Segundo a Secretaria da Fazenda, órgãos estão recebendo nesta quinta-feira porque tiveram suas folhas empenhadas no ano passado.

A Secretaria da Fazenda informou, em nota, que nesta quinta-feira (10) serão liberadas as folhas salariais de dezembro do Tribunal de Justiça, Ministério Público, Tribunal de Contas do Estado (TCE), Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Assembleia Legislativa, Defensoria Estadual e Secretaria da Saúde. O total a ser liberado é de R$ 255 milhões e os servidores já recebem os vencimentos em suas contas bancárias ainda hoje.

Ainda de acordo com a nota, os Poderes e órgãos estão recebendo os vencimentos de dezembro porque suas folhas foram empenhadas no Orçamento Estadual de 2018. “As folhas do Executivo, à exceção da Saúde, não foram empenhadas, o que impede o governo estadual de quitá-las no momento”, diz o texto.

A Secretaria da Fazenda também ressaltou que estuda uma forma de regularizar o pagamento e tem discutido a questão até com a Secretaria do Tesouro Nacional (STN), órgão do Ministério da Fazenda, para regulamentar o pagamento sem pendência jurídica à nova administração.

Fonte: https://www.emaisgoias.com.br/estado-libera-pagamento-de-dezembro-para-7-orgaos/

Goiás – Campus Trindade e Polo Industrial devem firmar parceria em inovação e oferta de estágio

Com previsão de instalação de 50 empresas ainda em 2019 há a possibilidade de criação de Polo Educacional e foco na qualificação da comunidade local em Trindade

O diretor-geral do IF Goiano – Campus Trindade, professor Júlio Cézar Garcia, foi convidado a visitar na manhã de hoje (09/01) o Polo Industrial do município, localizado no Setor Maria Monteiro. Informações sobre investimentos, obras e a necessidade de qualificação da comunidade local para compor a força de trabalho para as cerca de 50 empresas que devem se instalar no Polo até o final desse ano foram debatidos com o secretário de Indústria, Comércio e Trabalho de Trindade, Alexandre César Batista Freire; a superintendente de Trabalho, Eva Eny Junqueira, e o servidor Cláudio.

De acordo com o diretor-geral, foi levantada a possibilidade de fortalecimento do Polo Industrialde Confecção de Roupas e do Turismo Religioso com um Polo Educacional. Júlio ainda afirmou que há a expectativa de parceria da Indústria local com o Polo de Inovação do IF Goiano, bem como para a criação de campo de estágio para os alunos do Campus Trindade. Na oportunidade, o representante do Campus Trindade agradeceu a parceria e o constante diálogo da Prefeitura de Trindade no desenvolvimento da educação pública no município.

Desenvolvimento

Planejado para atender com educação pública de qualidade cerca de nove municípios, o Campus Trindade atualmente conta com 12 cursos, do ensino médio integrado a cursos técnicos até a pós-graduação. E em seu quarto ano de funcionamento já são ofertados três cursos de superiores: Engenharia Civil, Elétrica e da Computação. As áreas de ensino, pesquisa, extensão e administrativa da unidade federal de educação contribuem para o desenvolvimento da região.

(Texto: Fabrizio Franco, Assessoria de Comunicação do IF Goiano – Campus Trindade)
Fonte: https://bit.ly/2H4ZMXb

6 microfranquias de até R$7 mil para trabalhar em casa

Trabalhar de casa é o desejo de muitos. Uma forma de realizar esse sonho é se tornar um franqueado home-based.

Existem empresas que oferecem a opção de franquia home-office, ou seja, você não precisa de um escritório comercial para ser um franqueado. Se você se interessou por esse modelo, e não pode investir muiito dinheiro, veja seis opções de microfranquias para trabalhar de casa, com investimento de até R$ 7 mil.

Todas as redes estão no Guia de Franquias 2017/2018 de Pequenas Empresas & Grandes Negócios. No total, a edição traz informações sobre mais de 1000 redes. Você pode comprar o Guia nas bancas de todo o Brasil e também fazer seu download no seu tablet. Confira mais informações no aplicativo do Guia de Franquias. Baixe-o aqui.

1. Vilesoft
Fundada em 1986, em Minas Gerais, a Vilesoft é uma empresa que desenvolve software para gestão de empresas de diversos portes e segmentos. Entre eles, indústria, telemarketing e até de saúde.

Para ser um franqueado home-based da empresa, o investimento é de R$ 1,9 mil.

2. Esthetic Green
A Esthetic Green é uma união de loja de dermocosméticos e centro de estética. Entre os produtos vendidos pela empresa, há 12 marcas disponíveis, além de 30 serviços de estética

Você pode ter uma franquia em casa da Esthetic Green investindo R$ 1,9 mil.

3. College Personal English
A rede de escolas de inglês College Personal English foi fundada em 1995, por João Araújo, em Minas Gerais. O foco da escola é o ensino do idioma a universitários e, uma das possibilidades são as aulas online.

Os franqueados também podem aderir ao modelo de franquia online, em que ficam responsáveis pelos contatos comerciais, podendo dar ou não as aulas. Para esse modelo, trabalhando em casa, o investimento é de R$ 2,6 mil.

4. AcquaZero
A AcquaZero foi criada em 2009 pelo empreendedor Marcos Mendes. A proposta da rede de franquias é lavar o carro gastando menos de um copo de água. O segredo da limpeza diferente está em um produto químico desenvolvido pela própria marca.

O investimento inicial necessário para ter uma unidade da AcquaZero é de R$ 5,5 mil.

5. PremiaPão
A PremiaPão é especializada na comercialização de publicidade em sacos de pão. Fundada por jovens empreendedores, a empresa tem, hoje, mais de 200 unidades espalhadas pelo Brasil.

Para ser um franqueado home-based da PremiaPão, é preciso investir R$ 6 mil.

6. CI
Fundada em 1988, por dois empreendedores brasileiros, a CI é uma empresa de intercâmbios. Ela oferece cursos de idiomas em diversos países, intercâmbio de férias para adolescentes, programas de estágio e de trabalho remunerado, mochilões, cursos profissionalizantes, entre outras opções.

Você pode ter uma franquia da CI em sua casa com o investimento de R$ 7 mil.

Fonte: PEGN
Link: https://revistapegn.globo.com/Franquias/noticia/2017/07/6-microfranquias-de-ate-r-7-mil-para-trabalhar-em-casa.html

37 Tendências de negócio que vão bombar! Saia na frente!

Acompanhar e analisar tendências de mercado sempre foi uma prática típica de grandes corporações, principalmente por poderem financiar esses estudos.

Pensando na aplicabilidade e acesso das tendências aos pequenos negócios, o Sebrae/PR lançou o Caderno de Tendências 2018/2019. O material é gratuito e está disponível para download pelo link https://bit.ly/2O9WmS4.

O caderno traz 37 tendências divididas em quatro macro tendências, que são movimentos importantes que devem influenciar o mercado nos próximos anos. São elas: sociedade e economia inteligentes, novos comportamentos de consumo, gestão para o futuro e experiências reais.

De acordo com Maurício Reck, consultor do Sebrae/PR, o caderno é resultado da análise de 14 reports (relatórios, em português), das principais entidades mundiais especializadas em tendências, feita por uma equipe de especialistas do Brasil, Itália, Inglaterra e Portugal.

“A equipe reuniu as informações sobre mudanças no comportamento de consumo no Brasil e no mundo e convergiu para a realidade dos pequenos negócios. Os consumidores estão cada vez mais conscientes e em busca de novas soluções. Quem não ficar atento ao que acontece no mercado, perde em competitividade. O caderno de tendências é um direcionamento para que ele se mantenha competitivo, possa identificar para onde seus clientes estão indo e quem pode ser seus novos clientes”, analisa o consultor.

Macro e micro

De acordo com Reck, macro tendências tratam de mentalidades globais, originadas por novas necessidades de comportamento em comum na sociedade. “Neste caso, essas mentalidades tomam proporção tão grandes que passam a afetar simultaneamente uma vasta gama de setores da indústria e tem um prazo mais longo, de 15 a 30 anos”, explica.

Já as tendências e micro tendências, segundo Reck, são padrões de comportamento e consumo mais específicos, que surgem devido às mentalidades globais das macro tendências. “Por meio dessas manifestações em menor escala, ou em menos setores, pode-se compreender com mais precisão – ou na prática – quais são os tais novos anseios e desejos da sociedade”, avalia o consultor.

Fonte: PEGN
Link: https://revistapegn.globo.com/Banco-de-ideias/noticia/2018/09/37-tendencias-de-negocios-que-vao-bombar-no-proximo-ano-saia-na-frente.html

Organização é sucesso, confira as dicas!

Fazer a gestão do próprio negócio exige disciplina e comprometimento. Afinal, lidar com diferentes fornecedores, clientes, documentações, funcionários e ainda manter em dia as finanças pode se transformar em um caos se você não tiver tudo sob controle.

Embora alguns dias possam mesmo ser tomados por mil afazeres e um certo toque de desordem, é importante manter tudo o mais organizado possível. Quanto mais sistematizado for seu fluxo de produção e gestão, mais eficiente e produtiva será sua empresa.

Para quem está começando no universo do empreendedorismo ou tem dificuldades em gerir um negócio, algumas dicas, ferramentas e até mudanças na rotina podem ser a chave para o crescimento. Confira algumas dicas que podem ajudar a organizar sua rotina – e deixar sua vida muito mais fácil!

1. Aposente o papel
Manter pastas e caixas de arquivos em papel ocupa espaço, tende à desorganização e ainda acumula sujeira. Além disso, se você tem dificuldades com organização, fica muito difícil checar informações e encontrar aquele documento específico. Seu negócio vai ficar muito mais gerenciável se você partir para o universo digital. Hoje em dia, é possível encontrar uma variedade grande de aplicativos e softwares com um ótimo custo benefício que integram agenda, calendário e até bloco de notas. O importante é apenas escolher aquele que mais se adequa ao seu perfil, que não é, necessariamente, o último lançamento do mercado.
Para mergulhar na informatização, peça que os fornecedores enviem notas por email. Isso também pode ser feito com diversas contas fixas, como a de telefonia. O que não for possível transferir, pode ser digitalizado com a ajuda de um scanner.

2. Não deixe para depois
Quem nunca parou uma atividade no meio para resolver alguma outra pendência e nunca mais a terminou? Esse tipo de descuido pode comprometer todo seu fluxo de produção, atrasar entregas e render alguns clientes insatisfeitos. Por isso, quando começar a fazer algo, vá até o fim e não deixe pendências para trás. Se começou a checar e-mails, vá até o fim e responda tudo o que precisa de retorno. Essa mudança simples evita riscos desnecessários, perdas de prazos e até atrasos em negociações.

3. Liste as tarefas mais importantes do dia
Não adianta colocar dezenas de itens na sua lista diária de tarefas. É muito provável que você não chegue nem à metade– e termine o dia frustrado. O mais produtivo a fazer é selecionar poucas coisas que são imprescindíveis e que não podem atrasar. E isso pode significar uma única tarefa ou mais atividades. O importante é ser realista: o que cabe no seu dia? Para quem tem dificuldades em decidir prioridades, uma dica é começar pelo caminho inverso. Coloque na lista do “não fazer” tudo o que não é urgente e vai atrapalhar a gestão e seu fluxo de trabalho. Essas tarefas ficam em standby para caso sobre tempo no dia. Do contrário, poderão ser finalizadas em outra data.

4. Escolha o melhor fornecedor para você
Uma das etapas mais importantes de qualquer negócio é a escolha do fornecedor. Na hora de decidir com qual empresa trabalhar, pense nela como uma parceira que será a peça inicial (e chave) para seu fluxo de produção. O fornecedor precisa ser responsável e de confiança, porque ele será sua garantia de que matéria-prima, insumos e produtos sejam entregues em dia. Entre as possibilidades encontradas no mercado, o Makro é uma empresa parceira de pequenos a grandes negócios. Além de fornecer produtos de qualidade com bons preços, é aberto e acessível a qualquer tipo de consumidor: não exige cadastro ou CNPJ, não cobra mensalidade e as compras podem ser feitas no atacado e em pequenas quantidades.

5. Planeje sua semana com antecedência
Às segundas, separe uma hora do dia para planejar e sistematizar sua semana. O que é mais importante a ser feito em cada um dos dias? Dessa maneira, é possível ter uma visão mais geral dos dias que vem pela frente. Isso ajuda você não só a cumprir com todos os prazos, mas também a identificar a tempo possíveis falhas e pontos que precisam ser reforçados.

6. Aprenda a delegar
Ter controle sobre o que acontece com o seu negócio é essencial, mas isso não significa ser o responsável direto por tudo. Para ter sucesso, e conseguir uma gestão organizada, o empreendedor precisa aprender a delegar funções. Se você tem dificuldades em cumprir esse papel, a publicação Harvard Business Review reuniu algumas dicas que podem te ajudar a dar o primeiro passo: entenda porquê e a importância de delegar, escolha as pessoas corretas, aprenda com a experiência e avalie sua performance constantemente. A revista indica ainda algumas das funções que podem ser delegadas, e que ajudam o empreendedor a organizar o negócio. Entre elas estão qualquer coisa que: ele não goste ou não execute bem, esteja impedindo a empresa de crescer, consuma muito tempo para ser feito (embora seja fácil) e gostaria que algum funcionário com potencial de liderança aprendesse a fazer.

Fonte: PEGN
Link: https://revistapegn.globo.com/Publicidade/Papo-de-Dono/noticia/2018/04/organizacao-e-essencial-para-o-sucesso-do-empreendedor-confira-nossas-dicas.html

Franquias são opções para quem quer crescer ou investir

*Por Paula Monteiro

O sonho de muitos empreendedores é ampliar o negócio, seja para firmar a marca ou aumentar o faturamento. Mas como planejar essa expansão? Qual a hora mais adequada para apostar no crescimento? O consultor Marcelo Cherto explica que a franquia é um caminho excelente quando você quer atingir um mercado razoavelmente grande, com um grau de controle bastante alto sobre a fortma como as coisas acontecem em cada ponto de venda, mas você não tem muitos , mas o empreendedor não tem muitos recursos financeiros.

Foi exatamente o que a Fernanda Castanheda fez. Ela já tinha sido franqueada de outras marcas quando decidiu abrir a sua própria loja de bolos junto com uma sócia. “Quando nasceu a ideia, logo pensamos que precisávamos ter o negócio em vários lugares e, por isso, decidimos franquear”, conta. Foi assim que, de ex-franqueada a franqueadora, Fernanda e a sócia cresceram. Abriram três lojas próprias e franquearam 41.

O consultor Marcelo Cherto destaca que “se elas tivessem 44 unidades próprias, teriam que investir R$ 250 mil ou R$ 300 mil multiplicado 44 vezes. E teriam que ter um esquema de supervisão muito mais rígido”. O custo de 44 lojas próprias seria de aproximadamente R$ 11 milhões. Bem acima do investimento inicial que elas fizeram, de R$ 110 mil.

O consultor explica também que, quando você tem franquias, o seu franqueado acaba sendo o gestor do próprio negócio.

“Ele é um gestor altamente motivado porque ele pôs dinheiro próprio no negócio, então ele vai fazer o negócio da melhor forma possível”.

A Lúcia Souza é um exemplo disso. Ela abriu três franquias da marca de bolos da Fernanda e já pensa em abrir mais uma loja no ano que vem. O investimento para ter uma unidade é de R$ 190 mil.

Alma do negócio: como crescer?

Veja dicas de mercado para fazer o seu negócio crescer

Veja dicas de mercado para fazer o seu negócio crescer

O consultor Marcelo Cherto explica que existem três variáveis principais quando se pensa em ocupação de mercado. A primeira é olhar qual é a cobertura de mercado que se quer atingir, ou seja, em quantos pontos de venda, em quantos lugares, em quantos mercados, em quantos estados, cidades, o empresário quer estar presente. Depois, é preciso saber qual é o custo que você está disposto a bancar para alcançar essa cobertura. E, terceiro, saber qual é o grau de controle que você quer exercer sobre a forma que o produto ou serviço vai chegar ao consumidor.

Além de poder ampliar o negócio com lojas próprias ou franqueadas, é possível oferecer licenciamentos da marca, ou estruturar uma equipe de revendedores diretos para ampliar a área de cobertura geográfica, ou ainda abrir um e-commerce, um atendimento por telemarketing. A escolha do modelo de crescimento vai depender do tipo de negócio. É preciso avaliar prós e contras.

E não é preciso optar por apenas um formato. A dica do consultor Marcelo Cherto é apostar num mix de canais: em alguns mercados você pode ter franquias e em outros mercados, lojas próprias. Em outros, você vai ter representantes comerciais ou distribuidores.

O mais importante é agir – nunca ficar parado.

Fonte: PEGN
Link: https://g1.globo.com/economia/pme/pequenas-empresas-grandes-negocios/noticia/2018/12/16/franquias-sao-opcoes-para-quem-quer-crescer-ou-investir-em-um-negocio.ghtml